Testemunha no caso Flordelis sofre atentado a bomba

Testemunha no caso da morte do pastor Anderson do Carmo, Regiane Ribeiro sofreu um ataque a bomba em sua casa, na noite da última quinta (3), mas a noticia só  foi divulgada neste sábado  (5). Um artefato explosivo foi jogado no quintal da residência dela, que teria sido, segundo ela, uma tentativa de intimidação.

Regiane é ex-patroa de Lucas, filho adotivo de Flordelis, preso por suspeita de participação na morte de Anderson. Ela acusa Flordelis de influenciar Lucas para que ele mudasse sua versão sobre o crime, além de tentar incriminar o filho como único responsável pela morte do pastor. Regiane mora em Itaipuaçu, em Niterói.

Ela acionou a Polícia Militar logo após o atentado e, no dia seguinte, a Polícia Civil também foi ao local para fazer a perícia dos estilhaços.

Segundo Reguane, a explosão foi muito forte e acordou ela e seu marido, além de vizinhos.  “Não machucou ninguém, pois estávamos dormindo e não tinha gente no quintal. A bomba explodiu no ar e os estilhaços atingiram minha casa e a casa vizinha. Acordamos com um barulho muito forte. Fiquei muito nervosa e ainda nem consegui dormir direito depois do ocorrido, de tão nervosa que fiquei”, disse Regiane.

O crime

A deputada Flordelis (PSD-RJ) é apontada como mandante matar Anderson do Carmo, na época seu marido, com 30 tiros em junho de 2019.

A investigação apurou que sete filhos do casal também participaram da ação. De acordo com a Polícia Civil, se divorciar de Anderson “não era uma opção” para Flordelis.

A testemunha do caso diz ter medo de Flordelis e acredita que a deputada federal não deveria estar em liberdade.

“Enquanto ela estiver solta, vai continuar cometendo crimes. Hoje sinto medo, mas vou seguir a vida normalmente. A polícia se colocou à disposição para a hora que eu precisar. Porém, estou mais vigilante com minhas coisas e ficarei cada dia mais vigilante enquanto ela não estiver presa”, disse.

Filho transferido

Flávio dos Santos Rodrigues, um dos filhos da deputada federal Flordelis (PSD-RJ), preso acusado da morte do pastor Anderson do Carmo, foi transferido nesta sexta-feira (4) para o presídio de segurança máxima Bangu I, no Complexo de Gericinó, zona oeste da capital. Flávio foi preso logo após o crime, em junho do ano passado. O irmão dele, Lucas Cézar dos Santos, acusado de participação no crime, também está preso.

A decisão da juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói, na quinta-feira (3), determinava a separação de todos os presos investigados na morte do pastor Anderson do Carmo.

*Com informações da CNN/RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *