Presidente da ALE-AM garante votação do reajuste dos professores após renegociação

Manaus (AM) – O presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), deputado estadual Josué Neto (PSD), se reuniu com os líderes do movimento grevista de professores e pedagogos na manhã desta quarta-feira (15) e garantiu a votação da Mensagem Governamental nº 69/2019 que trata sobre o reajuste dos professores após renegociação entre a categoria e o Governo do Estado.

O parlamentar explicou o trâmite da Mensagem, que chegou à Assembleia na tarde da última terça-feira (14). “A Mensagem foi protocolada e só começou a tramitar hoje de acordo com o nosso regimento. Não haverá tramitação em forma de urgência e aquilo que fo anunciado ontem está acontecendo hoje: que assim que chegasse a matéria
na Casa, nós chamaríamos os professores para dialogar sobre os termos daensagem. Ela só vai cumprir o prazo para ser votada na semana que vem, então só a partir da próxima quarta-feira (22) é que já poderá ser apreciada em Plenário”, afirmou.

Segundo Josué, uma nova mesa de negociação deve ser feita com a participação do secretário de Fazenda Alex Del Giglio e a deputada estadual Therezinha Ruiz (PSDB), que é presidente da Comissão de Educação da Assembleia. “Estamos retomando essas negociações para que os professores tenham alguns pleitos atendidos a mais do que aqueles que constam no projeto e para que a greve seja encerrada porque paralisação de escola não é bom para ninguém. A previsão é que na próxima quarta-feira já possamos votar essa matéria com emendas ou com alterações”, explicou.

Para o deputado estadual Wilker Barreto (PHS) a Assembleia figura como mediadora neste momento. “O ponto positivo foi a palavra do presidente Josué Neto de tranquilizar os professores que a matéria não será votada de forma apressada, cumprindo o seu papel de mediar a situação. Existe o entendimento do Governo e o entendimento dos professores e torço para que eles cheguem a um meio termo, a um consenso”, declarou.

A deputada Therezinha Ruiz explicou que a Mensagem enviada pelo Governo do estado ainda está aquém das reivindicações dos professores. “Os professores querem manter o diálogo porque nesta mensagem ainda existem alguns itens que a categoria quer discutir, por isso acordamos que o secretário de Fazenda vai fazer parte de uma nova conversa sobre o assunto e esperamos que nestes próximos dias a gente se reúna para acertar esses detalhes que ainda estão na pauta de reivindicações”, afirmou.

Os representantes do Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (Asprom Sindical) e Sindicato dos Trabalhadores pela Educação do Amazonas (Sinteam) rejeitaram os termos da mensagem e pretendem incluir melhorias nos benefícios que a categoria possui como a inclusão de dependentes na cobertura do plano de saúde, aumento do vale transporte e auxílio alimentação.

Assembleia

A reunião foi um desdobramento de uma assembleia do Asprom Sindical no auditório Belarmino Lins no mesmo dia. Durante a Assembleia Geral os professores votaram pela rejeição da contraproposta do Governo e continuação da greve e também pela elaboração de uma nova contraproposta junto com o Sinteam a ser apresentada ao Governo do Estado, apresentando a inclusão de melhorias no plano de saúde, vale transporte e um novo percentual de reajuste.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *