PF prende dez deputados mensaleiros da ALERJ

No Rio de Janeiro, a Operação Furna da Onça, um desdobramento da Operação Lava Jato, prendeu dez deputados estaduais na manhã desta quinta-feira, 8/11. As investigações apontam que esses deputados recebiam propinas mensais, de R$ 20 mil a R$ 100 mil, para votar de acordo com os interesses do governo do Sérgio Cabral. O montante do mensalinho pode chegar a R$ 54 milhões.

Os deputados são: André Correa (DEM), Chiquinho da Mangueira (PSC), Coronel Jairo (MDB), Edson Albertassi (MDB), Jorge Picciani (MDB), Luiz Martins (PDT), Marcelo Simão (PP), Marcos Abrahão (AVANTE), Marcus Vinícius Neskau (PTB), Paulo Melo (MDB) e Vinícius Farah (MDB). Ainda foram presos secretários e chefes de órgãos estaduais, como o DETRAN.

O “mensalinho” era resultado de sobrepreço de contratos estaduais e federais. Os parlamentares ainda contavam com indicações e loteamento de cargos em diversas estatais, onde poderiam colocar mão de obra comissionada e terceirizada.

Outros deputados, secretários e chefes de órgãos estaduais estão sendo investigados.

Os presos nesta quinta-feira:

Alguns dos alvos da Operação Furna da Onça: Affonso Monnerat, André Correa, Chiquinho da Mangueira, Coronel Jairo, Edson Albertassi, Jorge Picciani; Leonardo Jacob, Luiz Martins, Marcelo Simão, Marcos Abrahão, Marcus Vinícius Neskau, Paulo Melo e Vinícius Farah —

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *