PF fecha o cerco nos mandantes do atentado contra Bolsonaro

A Polícia Federal avança nas investigações sobre o atentado terrorista praticado por Adélio Bispo ao candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro, ocorrido no dia 6 de setembro em Juiz de Fora, Minas Gerais. A quebra de sigilo bancário está levando à identificação do mandante do atentado.Os advogado de Adélio já mostram desespero.

Nos últimos 7 anos, Adélio não ficou muito tempo nos empregos que ocupou, ele chegou a trocar de emprego 12 vezes e não ficou mais que 3 meses em cada um. Este fato gerou desconfiança por parte dos filhos do candidato. Flávio Bolsonaro gravou um vídeo para o canal “Bolsonaro TV” questionando a origem do dinheiro.

Apear de ser articulado e, provavelmente, treinado para cometer o crime, Adélio Bispo deixou muitos rastros. Os cartões de crédito, um deles internacional, e o caminho percorrido por Adélio Bispo nos últimos anos, deixaram provas espalhadas em toda a trama. Asinvestigações já identificaram que ele teve contato com um deputado federal do Psol, dentro da Câmara Federal e que existe atos comuns com o assassinato do então prefeito de Santo André, Celso Daniel, no início dos anos 2000.

A Polícia está fechando o cerco e pode chegar aos envolvidos nos próximos dias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *