Em entrevista, Sérgio Moro causa temor nos corruptos do Brasil

Nesta terça-feira, 6/11, o juiz federal Sergio Moro calou a mídia esquerdista na sua primeira entrevista coletiva após a escolha de seu nome para o Ministério da Justiça e Segurança Pública no próximo governo Jair Bolsonaro. Moro detalhou todos os procedimentos adotados na Operação Lava Jato e se posicionou sobre assuntos como legalização da liberação de armas, corrupção e sobre a condenação do ex-presidente de Lula da Silva, entre outros assuntos.


Moro reafirmou que Lula foi condenado e preso pelos crimes que cometeu, não pelas eleições. Usou exemplos de outras condenações de políticos na Lava Jato, como Eduardo Cunha, para ressaltar sua imparcialidade. Também lembrou que sua sentença foi confirmada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

O futuro ministro também citou algumas medidas que defenderá em 2019 para sua agenda anticorrupção e anticrime organizado, e falou sobre ser possível chegar a um meio-termo em propostas em que ele diverge com o presidente eleito Jair Messias Bolsonaro (PSL).

O juiz Sérgio Moro falou à imprensa que pretende chamar nomes que trabalham ou trabalharam na Operação Lava Jato ao seu lado para compor superministério da Justiça.  Moro citou que mantém contato com os atuais ministros Raul Jungmann e Torquato Jardim, Segurança Pública e Justiça respectivamente, do governo de Michel Temer, para tratar sobre os planos de transição e falou sobre a corrupção no Brasil.

Uma das citações mais importantes está relacionada com o fortalecimento da Lava Jato para assegurar à sociedade que os crimes de corrupção não serão mais tolerados.“Corrupção nunca vai se encerrar, nem os crimes. Mas os níveis de corrupção e de crimes no Brasil são muito altos”, disse Moro. “Nos acostumamos às vezes a ver esses índices de criminalidade com naturalidade”.

O juiz continuou a coletiva de imprensa citando exemplos de sucesso que ele pretende aplicar no futuro ministério da Justiça, como a excelente atuação do FBI no combate às máfias em Nova York (EUA).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *