Debates, apoios e desconfianças no 2º turno do Amazonas

Debates entre Amazonino e Wilson precisam priorizar a Zona Franca

Praticamente esquecida durante os debates da batalha eleitoral do primeiro turno, a Zona Franca de Manaus deve, por bom senso, ser prioridade nos confrontos desta etapa final do processo eleitoral entre os candidatos Amazonino Mendes (PDT) e Wilson Lima (PSC).

Especialistas em economia e líderes empresariais se manifestam em favor dessa pauta que é fundamental para forçar a barra por providências em favor do fortalecimento do modelo, bem como por políticas alternativas de desenvolvimento econômico para um Estado-continente situado em um país cujo Governo Central nunca prezou por uma política industrial bem definida.

Todos sabem que, depois da batalha de votos de 28 de outubro, todas as atenções se voltarão para o Congresso Nacional, onde tramitam dezenas de projetos defendendo a criação de novas Zonas Francas, amparados pelo mesmo sistema de benefícios fiscais que caracteriza o modelo amazonense.

Então, debater a ZFM e buscar novas alternativas econômicas é dever dos candidatos em questão. Das propostas que eles formularem, poderão nascer novos projetos que verdadeiramente mudem o eixo econômico do Estado, ensejando polos de fármacos, de minérios e vários outros, e, obviamente, apontando grandes investimentos em infraestrutura aeroportuária e rodoviária (e ferroviária, por quê não ?).

Grupo de Estudo

Segundo o economista Ailson Rezende, o Governo do Estado deveria criar um Grupo de Estudo para debater novas propostas para modernizar e salvar o modelo ZFM.

Sabe-se, a propósito, que a Fieam já fez chegar às mãos de Amazonino Mendes e Wilson Lima um elenco de propostas visando o fortalecimento do Polo industrial de Manaus (PIM).

Belão esclarece

A propósito de matéria divulgada de forma equivocada em um portal de notícias, na semana passada, o deputado estadual Belarmino Lins (PP) distribuiu nota desmentindo qualquer participação no processo eleitoral que culminou na eleição de Fausto Júnior (PV), parente seu, para a Assembleia Legislativa.

“Durante toda a campanha eleitoral de 2018 preocupei-me somente com a luta visando a conquista do meu oitavo mandato no Parlamento Estadual, fato inédito na história do meu País, e não exerci qualquer influência na eleição de Fausto Júnior, o qual, para mim, foi um concorrente igual aos demais no pleito deste ano”, disse Belão.

Evangélicos fracassam

Com o fiasco nas urnas de 7 de outubro, caiu por terra a pretensão da bancada evangélica de aumentar para 150 o seu exército de representantes na Câmara Federal nas eleições de 2018.

Em 2014, a bancada elegeu 88 parlamentares, mas este ano o fracasso foi total. Foram eleitos apenas 42 deputados “homens de Deus”.

‘Professores satisfeitos’

Ainda não é o paraíso, mas o deputado Dermilson Chagas (PP) garante que os professores estão plenamente satisfeitos com o pagamento do abono dos mestres da rede estadual de ensino com recursos do Fundeb.

“Os professores estão felizes e o pagamento foi garantido conforme as normas legais autorizadas pelo TRE-AM”, comenta o deputado.

Pauderney e Alfredo

Ex-membro do grupo do senador Omar Aziz (PSD), o deputado federal Pauderney Avelino (DEM), que não conseguiu se reeleger no último dia 7, está em paz com o governador Amazonino Mendes e está de corpo e alma na campanha de segundo turno do Negão.

Outro parlamentar federal, Alfredo Nascimento (PR), que não obteve sucesso nas urnas, também está mais do que integrado na campanha do governador pedetista.

Wilson preocupa

Segundo fontes, há grande expectativa dentro staf político da campanha de Amazonino Mendes em função dos números da próxima pesquisa apontando intenção de votos da população.

Corre à boca pequena, dentro do staf, informações dando conta de que prefeitos e ex-prefeitos, que quebraram lanças pelo Negão no primeiro turno, agora desconfiam do capital de votos do candidato oficial diante da força da campanha de Wilson Lima neste segundo turno do processo eleitoral. Estão todos com as barbas de molho.