Modelo acusa senador Irajá Filho de estupro

Nesta segunda-feira (23), uma modelo de 22 anos registro um boletim de ocorrência por estupro contra o senador Irajá Silvestre Filho (PSD-TO), filho da senadora Kátia Abreu (PP-TO).

O crime, segundo ela, aconteceu na madrugada de domingo (22) para segunda após a jovem conhecer o senador em um restaurante e ir com ele para uma balada na Zona Oeste de São Paulo.

Em nota, o senador negou o crime e disse que está à disposição das autoridades para esclarecimentos. Ele prestou depoimento durante à tarde na sede da 3ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), na Zona Oeste de São Paulo, onde disse que a relação foi consensual e que está “estarrecido” com a acusação de estupro.

Segundo o boletim de ocorrência, registrado no 14º Distrito Policial, a jovem disse ter conhecido Irajá Filho em um almoço no Jockey Clube e que, no começo da noite, foram à casa noturna Café de La Musique.

A jovem relatou que, na balada, tomou bebidas alcóolicas e perdeu a consciência. Depois, ela disse à polícia que acordou, na madrugada desta segunda-feira, em um flat do senador no Itaim Bibi, na Zona Sul da capital.

A vítima disse que acordou com o senador penetrando-a e dizendo frases como “você é minha” e “agora você é minha, estou apaixonado”.

Segundo o boletim de ocorrência, naquele momento, a jovem não resistiu nem tentou tirar o senador de cima do seu corpo porque temia por sua segurança. Em seguida, ela se trancou em um banheiro e pediu ajuda a uma amiga por meio de mensagens por celular.

A modelo contou que, ao sair do banheiro após a chegada da amiga, tentou agredir o senador e foi à recepção do flat pedir ajuda policial. Ela passou por exames clínicos.

Senador nega

Em depoimento à Polícia Civil sobre o caso, o senador afirmou que conheceu a jovem quando foi convidado para almoçar por um amigo e que conheceu três mulheres no restaurante, entre elas, a modelo. Ele afirma que os dois conversaram e trocaram telefones.

Segundo o senador, a jovem deixou o restaurante dizendo que iria a uma festa e, em seguida, enviou mensagens incentivando ele ir ao local, onde os dois começaram a “ficar”. De lá, foram para o “Café de La Musique”, na Zona Oeste, onde o senador contou que eles começaram a instigar um ao outro sexualmente. Foi então que o parlamentar afirma que os dois saíram da boate e foram a pé para o flat dele, que fica do lado da casa noturna. Ele disse que os dois estavam alcoolizados, mas que nenhum estava inconsciente.

O senador contou que eles fizeram sexo oral também um no outro, e que, após o sexo, ficaram conversando amenidades. Após o sexo, ele diz que ela entrou no banheiro e demorou. Foi quando a amiga dela enviou mensagem pra ele perguntando o que estava acontecendo, dizendo que a jovem teria mandado mensagem com a localização e alegando que ele tinha agredido ela.

Irajá Silvestre Filho conta que autorizou a amiga a subir no flat e quando a amiga bateu na porta do banheiro, a vítima saiu e tentou chutá-lo e que quis sair nua no corredor.

Em seguida, o senador diz que ligou para um advogado e foi até a delegacia prestar depoimento.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *