Vídeo mostra como a Terra orbita no sistema

Todos sabem que o sistema solar tem, no seu centro, o Sol. Todos os planetas, uma camada de asteróides e cometas orbitam a estrela-mãe. Mas não é tão simples assim. Na realidade tudo que existe no sistema solar, inclusive o Sol, orbita um mesmo centro de massa.

Espera aí?! O Sol orbita um centro de massa no sistema solar?

O centro de massa do sistema solar é conhecido como baricentro – ponto de equilíbrio, o local em que de toda a massa está distribuída de maneira uniforme ao seu redor. E, pasmem, esse ponto não costuma estar alinhado com o centro do Sol.

O vídeo abaixo, criado por James O’Donoghue, cientista planetário da Agência Espacial Japonesa, mostra o processo em que Saturno e Júpiter puxam o Sol como se a estrela tivesse mini órbitas em volta do baricentro.

 

Segundo O’Donoghue raramente orbitamos o Sol como pensamos.

Para fins didáticos animação acima mostra o movimento do sol exagerado para ficar mais clara como a estrela faz mini órbitas ao redor do baricentro. Ele circula a milhões de quilômetros em volta do baricentro, passando por cima dele às vezes.

Apesar o Sol conter 99,8% da massa de todo o sistema solar Júpiter tem a maior parte dos 0,2% que restam e isso faz com que o Sol seja atraído suavemente. Ou seja, o Sol levemente orbita Júpiter.

A Terra e a lua também têm o seu próprio baricentro, assim como qualquer outro planeta e sua(s) lua(s). Mas é uma órbita mais simples do que a do Sol, Júpiter e Saturno:

 

Apesar da distância entre a Terra e a Lua não estar em escala é possível ver no vídeo como nosso satélite se moverá nos próximos três anos.

O pequeno planeta-anão Plutão também tem uma lua, Caronte. O baricentro deles, no entanto, nunca passa por Plutão. O vídeo está em escala:

“Os planetas orbitam o Sol, é claro. Estamos apenas sendo pedantes sobre a situação”, afirmou O’Donoghue.

Portanto todo sistema planetário tem um ponto invisível que orbita, incluindo sua própria estrela central. E quando uma estrela observada “rebolando” muito é possível identificar que há um planeta, possivelmente massivo, em sua orbita. Inclusive é possível calcular sua massa. E dessa maneira foram descobertos muitos exoplanetas gigantes. (Business Insider)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *