Polícia Federal prende a ativista Sara Winter

Na manhã desta segunda-feira (15), a  Polícia Federal prendeu a ativista Sara Winter, em uma operação realizada em Brasília. Sara é líder do movimento chamado “300 do Brasil”, que esteve acampado em Brasília em apoio a Bolsonaro e foi removido no fim da última semana, por determinação do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha.

O pedido de prisão, aceito pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, foi feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR), que investiga ações antidemocráticas.

A ativista conservadora faz parte do movimento de apoio ao presidente Jair Bolsonaro . Outros integrantes do grupo estão sendo presos nesta manhã.

Winter também está entre os investigados pela Polícia Federal no inquérito que apura fake news e ataques a ministros do STF, do qual Moraes é relator na Corte. No dia, 27 de maio, ela afirmou, por meio do perfil que mantém no Twitter, que os agentes da PF estiveram na casa dela.

Na ocasião, a militante chamou o ministro do STF Alexandres de Moares de covarde e disse que ele não a calaria. “Levaram meu celular e notebook. Estou praticamente incomunicável”, escreveu na conta que mantém na rede social.

A prisão da ativista também foi confirmada nas redes sociais pelo “300 do Brasil”. Em mensagem no Instagram, o grupo escreveu: “Sara Winter acaba de ser presa pela Polícia Federal”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *