Campanha aborda ‘tabagismo e coronavírus’

Manaus (AM) – A Prefeitura de Manaus vai iniciar uma campanha de alerta sobre os riscos do tabagismo para o desenvolvimento de formas mais graves de Covid-19, com orientações sobre como parar de fumar em período de pandemia. A ação, coordenada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), marca o Dia Mundial sem Tabaco, celebrado no próximo 31/5, domingo.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi, para evitar aglomeração por causa do risco da Covid-19, a programação da data não será marcada por atividades presenciais, mas por uma campanha de sensibilização nas mídias digitais.

“Mesmo durante o período de isolamento social, é importante não perder a oportunidade de celebrar a data e alertar sobre os riscos do tabagismo para a saúde do fumante e das pessoas que convivem com fumantes, principalmente porque estudos já apontam que o tabagismo aumenta o risco de infecção mais severa pela Covid-19”, explica Magaldi.

A gerente de Promoção da Saúde da Semsa, Francinara Lima, ressalta que a campanha pretende esclarecer como o hábito de fumar é potencialmente nocivo aos pulmões e ao sistema imunológico, deixando o paciente com Covid-19 mais vulnerável ao desenvolvimento da forma grave da doença, além de aumentar a possibilidade de transmissão pelo contato constante dos dedos com os lábios.

“Coronavírus é uma família de vírus que causa infecções respiratórias. Como o tabaco pode provocar diferentes tipos de inflamação e prejudicar os mecanismos de defesa do organismo, pessoas que fumam têm maior risco para infecções por vírus ou bactérias, como pneumonias, sinusites e tuberculose. Isso significa que o fumante muitas vezes já tem um comprometimento da capacidade pulmonar e, quando sofre infecção pela Covid-19, terá maior chance de desenvolver sintomas graves da doença”, alerta Francinara.

Primeiros passos

A campanha, informa a gerente, vai destacar os três passos básicos sobre como parar de fumar em tempos de Covid-19:  decidir parar de fumar, quando o fumante deve escolher uma data para o seu primeiro dia sem cigarro e programar atividades para se distrair e relaxar; o segundo passo é a escolha do método, que pode ser a parada abrupta e imediata, ou gradual, que não deverá levar mais de duas semanas; o terceiro passo é o aprendizado sobre como lidar com os primeiros dias sem cigarro (síndrome de abstinência), o que inclui beber muita água, praticar atividade física e encontrar formas de relaxamento.

“A Prefeitura de Manaus, por meio da gerência de Promoção da Saúde da Semsa, elaborou um material educativo para orientar a população e que será disponibilizado no site e nas redes sociais da secretaria. É uma forma de orientar a população durante a pandemia, já que as atividades presenciais dos 22 ambulatórios de tratamento de fumantes da rede municipal estão temporariamente suspensas, considerando a necessidade de distanciamento social”, esclarece Francinara.

A Semsa também vai disponibilizar material para a leitura semanal da cartilha de tratamento ao fumante, com dicas importantes que auxiliarão o seu processo de parada no uso do cigarro.

Prevenção

A campanha também vai abordar o tema “Proteger os jovens da manipulação da indústria e prevenir o uso de produtos de tabaco e nicotina”.

Segundo Francinara, dados do Ministério da Saúde mostram que 19% dos adolescentes brasileiros, entre 13 e 15 anos, já experimentaram cigarros, e aproximadamente 80% dos jovens que evoluem para fumar regularmente começam antes de completar 19 anos.

“Entre as estratégias para atrair o público adolescente e jovem, existem campanhas de marketing e de publicidade, design de novas embalagens mais atrativas, uso de sabores mais atraentes em produtos de tabaco, como cereja e chiclete, e novos produtos que também podem simular outros objetos, como pen-drive e caneta. Muitas vezes essas estratégias passam despercebidas e por isso pais, escolas, serviços de saúde e a sociedade em geral devem ficar sempre atentos para orientar pela prevenção”, alerta.

Vigitel

De acordo com a pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel-2019), realizada pelo Ministério da Saúde para todas as capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal, o índice médio de fumantes adultos no Brasil é de 9,8%, com 12,3% entre o público masculino e 7,7% entre o feminino.

Em Manaus, no ano passado o índice ficou em 5,2%, com 8,5% entre homens e 2,2% entre mulheres, sendo que o índice médio em 2019 para Manaus é menor do que o resultado da pesquisa realizada em 2018, quando foi registrada uma frequência de 6,4% de fumantes entre a população adulta. Em 2008, o índice na capital amazonense chegou a 13,5%.

“A redução ao longo dos anos é resultado de uma série de ações executadas no Sistema Único de Saúde (SUS), com políticas públicas nacionais, estaduais e municipais. Isso inclui a implantação do Programa de Controle do Tabagismo no município de Manaus no ano de 2008, juntamente com o início da implantação dos ambulatórios de tratamento de fumantes na rede municipal”, ressalta Francinara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *