Capes capacita professores na Amazônia

Projeto Escolas Ribeirinhas Sustentáveis capacitou 60 docentes de 36 escolas da região

O município de Carauari, no interior do Amazonas, foi a localidade escolhida para o projeto Escolas Ribeirinhas Sustentáveis. Localizado às margens do Rio Juruá, o pequeno município recebeu o projeto feito pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) em parceria com o Instituto Federal da Amazônia (IFAM).


O Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB), da Capes foi a ferramenta ideal para desenvolver o curso de formação continuada para professores de 60 comunidades ribeirinhas do Rio Juruá, que lecionam para mais de mil alunos de 36 escolas da região.

As ações do projeto foram organizadas em três seminários de formação continuada em 2019. Foram discutidos temas como, a importância da água em suas múltiplas dimensões, desde o corpo, casa, comunidade até as bacias hidrográficas e o planeta. Além da abordagem conceitual, foram trabalhadas com os professores as técnicas ecológicas a serem aplicadas nas escolas, como filtragem da água, horta e cartografia social, além de atividades de educomunicação.

Os professores capacitados tiveram a oportunidade de colocar em prática, em suas escolas, o aprendizado dos seminários. No segundo semestre de 2019, os educadores passaram a contar com a participação de jovens selecionados para atuar como facilitadores das atividades.

O terceiro seminário, que encerrou o projeto, realizou o Festival das Águas. No evento, a comunidade urbana, rural e também das terras indígenas de Carauari tiverem a oportunidade de compartilhar seus saberes, experiências e seus cuidados com as águas do Rio Juruá.

Philippe Waldhoff, professor do curso de Engenharia Florestal e coordenador do projeto pelo IFAM explicou que, inicialmente, a ideia do projeto era destacar a importância da Amazônia com relação à água em todo o país.

Waldhoff comemorou os resultados de dois anos de trabalho além do esperado, e exaltou o encerramento das atividades. “Alcançamos um resultado que foi para além dessa capacidade de articulação com as escolas. Alcançamos todo o município, culminando no Festival das Águas, em que toda a população local teve a oportunidade de conhecer os projetos que já existem no município, que tratam de questões relacionadas ao meio ambiente“, destacou.

*Com informações do MEC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *