Escritora acusa ator de assédio

Dustin Hoffman, um dos astros de Hollywood, é mais um nome acusado de assédio no momento em que atrizes e produtoras abrem a “Caixa de Pandora”. O ator foi tema de uma carta aberta da escritora Anna Graham Hunter, que afirma ter sido alvo de flertes e atitudes inapropriadas de Hoffman no set de A Morte de um Caixeiro-Viajante, filme de 1985.

Na época com 17 anos, Anna era estagiária da produção. Segundo ela, no texto publicado pela Hollywood Reporter, Hoffman continuamente flertava e falava sobre sexo com ela e chegou a apalpá-la em diversas situações.

“No meu primeiro dia de trabalho, ele pediu por uma massagem nos pés, eu fiz. Ele me cantava com frequência, apalpou minhas nádegas, falava sobre sexo comigo e na minha frente. Um dia, fui ao camarim checar o que ele queria de café da manhã. Ele respondeu: “Quero ovos quentes, e um clitóris morno”. Sua equipe gargalhou. Eu sai, muda. Então fui ao banheiro chorar.”

Anna manteve em segredo o assédio que durou cinco semanas, mas manteve um diário, que era enviado em cartas para sua irmã. “Hoje, quando o acompanhei até a limusine, Dustin pegou nas minhas nádegas quatro vezes. Todas as vezes eu o empurrei com
força, e disse que ele era um homem nojento.”

Segundo ela, no set, um supervisor a aconselhou a aceitar o comportamento do ator e que sacrificasse por um tempo seus valores para o bem da produção.

“Agora, aos 49 anos, eu entendo que meu sofrimento com Dustin Hoffman se encaixa no padrão que mulheres tem experimentado em Hollywood. Ele era um predador. Eu era uma menina. E aquilo foi sim um assédio sexual, dentro dos meus padrões. Só consegui entender isso muitos anos depois.”

Hoffman respondeu ao artigo com um escorregadio pedido de desculpas. “Eu tenho um grande respeito pelas mulheres e me sinto mal ao saber que algo que eu possa ter feito a deixou em uma situação desconfortável. Sinto muito. Isto não é um reflexo de quem eu sou.”

O ator entra para a lista de atores e produtores de Hollywood que viram seus nomes envoltos em acusações de assédio, ocorridas no passado. Quem puxou a fila foi o poderoso Harvey Weinstein, seguido pelos diretores James Toback e Brett Ratner, e os atores Ben Affleck e Kevin Spacey.

Fonte: VEJA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *