Wilson Lima escapa da CPI da Covid por decisão do STF

O governador do Amazonas Wilson Lima (PSC) escapou da CPI da Covid. A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu habeas corpus ao governador, possibilitando que ele não compareça à CPI da Covid no Senado Federal. O presidente da CPI, Omar Aziz, disse que o Senado vai recorrer da decisão ministra. 

“Evidencia-se inequivocamente a sua condição de acusado no contexto de investigações que apuram o desvio e má aplicação de verbas públicas federais no âmbito da execução das políticas de saúde para o enfrentamento da Pandemia decorrente da Covid-19. Tais razões, no meu entender, impõem, em observância ao direito à não autoincriminação, a convolação da compulsoriedade do ato convocatório em facultatividade, a ser exercida discricionariamente pelo paciente no interesse de sua defesa”, diz um trecho da decisão.

Os senadores criticaram a proteção do STF ao governador Wilson Lima.

O depoimento de Wilson Lima estava marcado para esta quinta-feira (10). A decisão foi expedida às 23h43 de quarta-feira (9). A ministra determinou que senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente da comissão parlamentar, seja comunicado com urgência sobre o salvo-conduto.

Os blogueiros e jornalistas ‘ungido$’ por Wilson Lima alegam que o governador recorreu para escapar da CPI porque queria proteger o presidente Jair Bolsonaro.

Acusado

O governador Wilson Lima é suspeito de comandar uma organização criminosa que desviou recursos federais transferidos para o Amazonas para o combate à pandemia.

Ele também entrou na mira dos senadores depois de ser atingido pela operação Sangria, da Polícia Federal, que apontou desvios na contratação de respiradores de uma adega de vinho e na montagem de hospital de campanha.

Wilson Lima se declara inocente e diz ser “o maior interessado nas investigações”. Na semana passada, endereços ligados a ele foram alvos recentemente de mandados de busca e apreensão na 4ª fase da operação Sangria. O secretário de Saúde do Amazonas, Marcellus Campêlo, que chegou a ser preso na quarta fase da Operação Sangria. Ele deve ser interrogado na CPI no dia 15 de junho.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *