Privatização da estatal vai cortar um passivo de R$14 bilhões/ano

A privatização da estatal Correios vai cortar os penduricalhos, regalias e privilégios que custam muito dinheiro e produziram um passivo de R$14 bilhões/ano, valor pago pelo contribuinte brasileiro. Este é o motivo da pressa do ministro das Comunicações, Fábio Faria, em apresentar o projeto de lei ao Congresso.

Em um primeiro momento, o governo propõe o fim do monopólio, no qual essa estatal se refestelou em regalias. Após o fim do monopólio e com a abertura do mercado a empresas privadas, a privatização, por meio de leilão, será o passo seguinte.

Sem retorno

Nem mesmo os atuais empregados dos Correios negam que o serviço está longe do seu auge e veem a privatização como “inevitável”.

O pagador de impostos paga 80% dos R$2 bilhões e 34 milhões anuais dos benefícios de assistência (planos) de saúde dos funcionários.

Nos Correios, só o passivo atuarial (valor necessário para pagar todos os benefícios aos assistidos) soma R$3,5 bilhões.

Os números mostram que a privatização é necessária e urgente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *