Mulher reinfectada por nova cepa tinha anticorpos

O primeiro caso de reinfecção de Covid-19 na região Norte foi diagnosticado no Amazonas em uma mulher que, segundo exames, apresentava anticorpos contra a doença dias antes de ser contaminada pela segunda vez.

É o que aponta artigo científico produzido por pesquisadores brasileiros e publicado no Virologist.Org, fórum internacional de discussões sobre epidemiologia. O estudo foi coordenado por Felipe Naveca, da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) Amazônia.

A mulher de 29 anos reinfectada pela nova variante do coronavírus foi diagnosticada com covid-19 pela 1ª vez em março. O 2º resultado positivo foi em dezembro, quando os exames apontaram contaminação pela nova cepa que teve origem no Amazonas.

De acordo com o pesquisador, ela havia apresentado anticorpos em exame realizado em teste rápido poucos dias antes do 2º diagnóstico.

“Era uma pessoa sem imunocomponente, que se infectou por B.1. em março e agora pela nova variante P.1. e apresentava anticorpos detectáveis em teste rápido dias antes de ter se reinfectado”, afirmou Naveca.

“Não sabemos ainda se isso representa que a nova variante escapa mesmo da resposta imune, até por ser o 1º caso, mas mostra que novos estudos precisam ser feitos”, disse.

O caso indicaria que existe possibilidade de que uma pessoa que se infectou com a doença e adquiriu resposta imune não esteja livre de ser contaminada, segundo o pesquisador da Fiocruz. Ele, no entanto, afirma que não é possível fazer tal afirmação a partir de apenas um caso.

“Pode ser isso, mas não dá para ter certeza só com esse caso. E também não se sabe se não foi por conta do tempo da 1ª para a 2ª exposição”, declarou

O artigo aponta que “estudos urgentes são necessários” para confirmar a hipótese de que novas variações do coronavírus podem contaminar pessoas imunizadas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *