Cidade investe em ‘mata-piolho’ contra a Covid

A cidade de Porto Feliz, que está localizada a 90 km da capital São Paulo, apesenta números surpreendentes na política de combate ao coronavírus. O atual prefeito Cássio Habice Prado, que também é médico, foi reeleito no município com 92,1% dos votos válidos, algo incomum em termos de eleições. A cidade tem pouco mais de 53 mil habitantes.

Há quase um ano, o prefeito fez uma declaração que foi muito criticada pela mídia;

“Nós reestruturamos nosso serviço de saúde … em março, reunimos os médicos da minha equipe e criamos um protocolo baseado no ‘Protocolo de Madrid’ , ‘Protocolo de Bérgamo’ e ‘Protocolo de Marseille. Em 28 de março, desde que tivemos o primeiro caso, nós temos feito o tratamento precoce de todos os pacientes com sintomas leves de Covid … esses sintomas leves são obtidos através de diagnóstico clínico (descrição de sinais e sintomas) e tomográfico (aqui todos fazem a tomografia) … já distribuímos cerca de 1500 kits, composto por hidroxicloroquina, azitromicina, enoxaparina, ivermectina, remédio para enjoo e anti-inflamatório, com um custo aproximado: R$ 40,00. Criamos esse kit, que foi muito criticado no início, e todos tomaram esses medicamentos durante o final de março, abril e maio … desde então, nenhum desses 1500 pacientes evoluiu para tubo, para respirador, para UTI ou para óbito”. 

E continuou …

“O que nós fizemos também foi tratar os cantactantes – pessoas do convívio -, com profilaxia……Nós fornecemos medicamentos para os contactantes que têm Covid em casa. Todos eles tomam ivermectina”.

A mídia “progressista” chegou a debochar do médico. Uma das matérias desonestas de um grande jornal dizia o seguinte:

“Garoto-propaganda da hidroxicloroquina, prefeito de Porto Feliz (SP) ganhou popularidade na busca da reeleição. Prefeitura de município no interior paulista também distribuiu remédio usado contra piolho de porta em porta para combater a Covid-19. A OMS afirma que nenhum deles tem eficácia comprovada. O “coquetel”, que inclui ivermectina, azitromicina e hidroxicloroquina, além de plasil/dramin, paracetamol/dipirona, celecoxibe e enoxaparina, também é entregue ali mesmo – se referindo a um dos postos da saúde da cidade.”

Como estão os números de Porto-Feliz em 2021?

Contra fatos, não há argumentos.

Boletim Epidemiológico emitido em 21 de janeiro de 2021 pela Prefeitura Municipal de Porto Feliz. (fonte:www.portofeliz.sp.gov.br/)

CASOS CONFIRMADOS: 3602

 

CASOS CURADOS: 3461

 

AGUARDANDO RESULTADOS: 382

 

ÓBITOS CONFIRMADOS: 28

Relação óbitos/população

Conta rápida de matemática básica: 28 (óbitos) / 53.000 (habitantes) = 0,052% de óbitos

Resumindo:  Se a cidade tivesse 1 milhão de habitantes, o número de óbitos por Covid 19 seria de 0,98, ou seja, 1 óbito por milhão de habitante.

Ahhhhh … só pra constar: A ivermectina não possuiu comprovação científica.

Para a mídia “assassina”, o que aconteceu em Porto Feliz foi apenas uma coincidência. (DB/RN)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *