Os esqueletos de Dilma Rousseff saem do armário

Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro questionou sobre a veracidade das notícias sobre a tortura sofrida pela ex-presidente e  ex-terrorista, Dilma Rousseff, durante o regime militar. A esquerda se revoltou com a posição do presidente e tentou transformar a ex-terrorista em vestal. Os ataques ao presidente foram tão virulentos que algumas pessoas resolveram recorrer às redes sociais e mostrarem a verdadeira face de Dilma Rousseff.

A ex-presidente a ex-presidente Dilma Rousseff integrou três organizações terroristas durante o Regime Militar. Um desses grupos, a qual Dilma fez parte, foi a Vanguarda Popular Revolucionária (VPR), organização comunista que assassinou covardemente o soldado Mário Kozel Filho, de 18 anos, em junho de 1968.

Na época, o grupo terrorista acelerou um carro-bomba, contendo 20 quilos de dinamite, para dentro das dependências do Quartel General do II Exército (atual Comando Militar do Sudeste) em São Paulo, dilacerando o corpo do jovem soldado e ferindo outros seis militares.

Além de Mário Kozel Filho, outras 7 pessoas foram assassinadas pela VPR. As outras organizações terroristas integradas pela ex-presidente também cometeram assassinatos. A Var-Palmares vitimou 4 pessoas e a COLINA 3 pessoas. Todos esses grupos criminosos eram armados e instruídos pelo ditador cubano Fidel Castro. O objetivo deles era implantar uma ditadura comunista no Brasil.

Pessoas assassinadas pela VPR

26/06/68 – Mário Kozel Filho – Soldado do Exército – SP

27/06/68 – Noel de Oliveira Ramos – Civil – RJ

12/10/68 – Charles Rodney Chandler – Cap. do Exército dos EUA – SP

07/11/68 – Estanislau Ignácio Correia – Civil – SP

09/05/69 – Orlando Pinto da Silva – Guarda Civil – SP

10/11/70 – Garibaldo de Queiroz – Soldado PM – SP

10/12/70 – Hélio de Carvalho Araújo – Agente da Polícia Federal – RJ

27/09/72 – Sílvio Nunes Alves – Bancário – RJ.

 Pessoas assassinadas pela Var-Palmares

11/07/69 – Cidelino Palmeiras do Nascimento – Motorista de táxi – RJ

24/07/69 – Aparecido dos Santos Oliveira – Soldado PM – SP

22/10/71 – José do Amaral – Sub-oficial da Reserva da Marinha – RJ

05/02/72 – David A. Cuthberg – Marinheiro inglês – Rio de Janeiro

 

Pessoas assassinadas pela COLINA

29/01/69 – José Antunes Ferreira – Guarda Civil – BH/MG

01/07/68 – Edward Ernest Tito Otto Maximilian Von Westernhagen – Major do Exército Alemão – RJ

25/10/68 – Wenceslau Ramalho Leite – Civil – RJ.

O post do advogado Alexandre Rudge Castilho (OAB/SP 162.859) foi a mais contundente. Confira o relato:

“Meu pai foi sequestrado, torturado e espancado no final dos anos 60 ao ser sequestrado pela ex-presidente Dilma Rousseff e os seus companheiros de terrorismo.

Ele ainda teve o seu veículo roubado e, posteriormente, usado para o roubo de dinamites de uma pedreira […] logo em seguida, essas dinamites serviram para o ataque com carro bomba no QG do II exército em São Paulo, resultando na morte de um jovem soldado Mario Kozel Filho, que prestava o serviço militar obrigatório com os seus 18 anos de vida.

A ex-presidente e a sua gangue nunca lutaram pela democracia […] lutavam para implantar a ditadura do proletariado conforme ela mesma afirmava à época.

Ela nunca lutou contra uma ditadura …. ela queria que fosse a ‘ditadura dela’ […] aquela que mata todo e qualquer direito individual do cidadão.

Ela mente quando afirmou que não praticou “crimes de sangue”.

Sequestrou. Roubou. Matou.

Essa é a realidade.

Escrevi esse relato porque escutei inúmeros deputados federais bradaram sobre a “honradez” e “pureza” da sra. ex-presidente da República.

Reafirmo: Ela sequestrou, torturou, roubou e matou”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *