Restrição: Wilson Lima usa dois pesos e duas medidas

Manaus (AM) – O Comitê de Enfrentamento da Covid-19 aprovou a prorrogação do Decreto nº 42.794/2020, que se encerraria na segunda-feira (26). Com a decisão, fica suspenso, por mais 30 dias, o acesso às áreas de praias para recreação e o funcionamento de balneários, flutuantes e bares. O governador Wilson Lima, que se reuniu nesta terça-feira (27) com os membros do Comitê não suspendeu as aulas da rede estadual de ensino, expondo alunos e professores com doenças crônicas e/ou obesidade ao contágio.

A decisão pela prorrogação foi tomada após avaliação dos dados epidemiológicos da doença no Amazonas, apresentados pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM).

De acordo com o governador, a avaliação das autoridades de saúde leva em consideração o aumento de aglomerações em função de eventos eleitorais e a antecipação do período sazonal de ocorrência de Síndromes Respiratórias Agudas (SRAGs) no Estado, com o início precoce do período chuvoso.

Wilson Lima não está preocupado com os profissionais da educação que se deslocam para as escolas em ônibus superlotados.

O governador anunciou a chegada de 60 respiradores enviados pelo Ministério da Saúde, além de monitores e medicamentos, e a contratação temporária, pelo governo do Estado, de mais 85 técnicos de enfermagem para reforçar a rede estadual de assistência.

Segundo a FVS-AM, a taxa de ocupação de leitos clínicos destinados à Covid-19 na rede estadual cresceu 51% nos últimos 14 dias. A média móvel de mortes por Covid-19 no Amazonas evoluiu 36% também nesse mesmo período.

Restrição

Os restaurantes e as lanchonetes poderão funcionar até o horário limite das 22h, ficando vedada a sua reabertura após este horário, até as 7h da manhã do dia seguinte, bem como a sua locação destinada à realização de eventos e festas particulares. O segmento gerava 80 mil empregos diretos. Com a medida do governador, vários estabelecimentos faliram.

O decreto também proíbe a realização de eventos em casas noturnas, boates, casas de shows e imóveis destinados à locação para esta finalidade, tais como casas, sítios, chácaras, associações e clubes. O descumprimento das normas prevê advertência, multa diária de até R$ 50 mil para pessoas jurídicas, a ser duplicada por cada reincidência; embargo e/ou interdição de estabelecimentos.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *