‘A corrupção no governo deste Estado tem chefe e subchefe’, dispara Wilker sobre o caso dos respiradores superfaturados

Manaus (AM) – O deputado estadual Wilker Barreto (Podemos) repercutiu nesta terça-feira (20), na tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), a reportagem veiculada no Jornal Nacional na noite da última segunda-feira, 19, na Rede Globo, sobre a segunda fase da Operação Sangria, da Polícia Federal (PF).

A reportagem teve acesso à gravações e mensagens trocadas entre agentes da Secretaria de Estado de Saúde (Susam) que citam a alta cúpula do Governo na compra dos 28 respiradores pulmonares numa loja de vinhos, que custou R$ 2,9 milhões para os cofres públicos.

O parlamentar afirmou que a reportagem é um resumo do que ele vem denunciando na Casa Legislativa nos últimos meses e retrata as investigações feitas pela CPI da Saúde. “O Jornal Nacional de ontem foi estarrecedor. Secretários de Estado falando abertamente em fraudar licitações, mentiram na CPI e a gente já sabia. A corrupção no governo do Estado é sistêmica, tem chefe e subchefe. Quando a
Procuradoria Geral da República (PGR) usou o termo organização criminosa, as sucessivas reportagens do Jornal Nacional e do Fantástico vem materializando o que sustentou a PGR. E falta de aviso da minha parte não foi”, alertou Wilker.

Barreto aproveitou para comentar sobre a carta de exoneração de Carlos Almeida do cargo de secretário da Casa Civil do Estado, enviada para o governador Wilson Lima, no dia 18 de maio deste ano. No texto, Almeida afirmou que “personagens tão ou mais perigosos se encontram em todos os lugares, às vezes, até mesmo dentro do nosso próprio barco”, salientou o vice, afirmando que seu papel sempre foi de “blindar meu Estado contra esses espectros (fantasmas) ” e alertou o chefe de Estado para “não tombar nos rochedos”.

“Tentei convocar o vice-governador para explicar à sociedade quem são as pessoas perigosas que rondam o governo, dos ratos que estão próximo do queijo. Mas num gesto de conivência com essas pessoas, esta Casa optou pela derrubada do requerimento”, lembrou o deputado, aproveitando para criticar a falta de fiscalização do Parlamento estadual nos atos do Executivo.

“Esta Casa precisa adotar uma postura firme contra a corrupção. Toda semana aparece indícios de corrupção, Governador e secretários se comportando como verdadeiros bandidos e esta Casa acha natural, como se fosse normal e não é. Ou enfrentamos essa corrupção sistêmica ou esta Casa será dragada por ela.
Fica o meu questionamento”, ponderou o parlamentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *