Acusações de Allan dos Santos preocupam brasileiros e Forças Armadas

Numa live, Allan dos Santos acusou os ministros do STF, Luíz Alberto Barroso, Alexandre de Moraes, além do advogado do PT e as embaixada da Coreia do Norte e China de tramarem sua morte e a cassação da chapa Bolsonaro/Mourão. Allan não apresentou provas de sua acusação

O jornalista Allan dos Santos informou, numa live na madrugada desta sexta-feira (31), que está fora do país. O dono do Terça Livre não especificou sua localização, mas há indícios que ele esteja nos Estados Unidos. A transmissão foi organizada pela deputada Bia Kicis, e teve a participação de Bernardo Küster e do americano Ryan Hartwig.

Küster a Allan são investigados no inquérito inconstitucional das Fake News no STF. Ambos tiveram suas contas bloqueadas internacionalmente no Twitter a mando do ministro Alexandre de Moraes.

Allan acusou Luís Roberto Barroso de “prevaricação”, pois o ministro estaria ciente de que as embaixadas da China e da Coréia do Norte estão espionando o telefone pessoal do presidente Bolsonaro, mas não notificou o Palácio do Planalto.

“Se alguma coisa acontecer comigo ou com minha família, vem da embaixada da China em Brasília, da embaixada da Coreia do Norte, do Kakay, do Partido dos Trabalhadores, do Barroso ou do Alexandre de Moraes” disse Allan.

O jornalista do Terça Livre argumentou que existe uma intenção deliberada por parte do TSE de promover a cassação do mandato de Bolsonaro, ainda que o presidente não tenha cometido qualquer crime eleitoral.

Três membros do tribunal, que também são membros da suprema corte, já teriam seus votos prontos pela cassação da chapa: Edson Fachin, Luiz Roberto Barroso e Alexandre de Moraes.

Fuga de Barroso, Moraes e Fachin

Outra informação trazida por Allan diz respeito a uma ‘suposta’ existência de um plano de fuga dos ministros do STF após a cassação do mandato de Bolsonaro.

Luiz Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin já teriam elaborado um plano de fuga do Brasil para o mesmo dia em que for votada a cassação da chapa de Bolsonaro/Mourão.

Allan foi enfático em dizer que existe um golpe de estado em andamento no Brasil.

O jornalista lembra também que caso sejam tomadas quaisquer medidas para prender integrantes do STF, é necessário que o mundo compreenda as razões, uma vez que não há mecanismos outros em nosso ordenamento jurídico e em nossa Constituição capazes de proteger a democracia brasileira contra a ação dos integrantes da suprema corte.

Lula sabe do plano

O ex-presidiàrio Lula da Silva saberia do plano pois garantiu durante uma live quea chapa Bolsonaro/Mourão será cassada e que ele concorrerá à presidência em 2022.

Até o momento, o Palácio do Planalto não se manifestou sobre as acusações, mas as Forças Armadas estão inquietas com as denúncias.

Kakay ameaça processo

O criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, o “Kakay”, comentou as denúncias feitas pelo jornalista Allan dos Santos, fundador do site Terça Livre.

Allan relatou que deixou o país por sentir-se ameaçado pelos ministros Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso, pelas embaixadas da China e da Coreia do Norte, e pelo advogado Kakay, que é ligado ao Partido dos Trabalhadores (PT).

Entrevista

Em entrevista à rádio Jovem Pan, Kakay disse que não sabia quem era Allan e ironizou a denúncia:

“Eu, na verdade não sabia quem era Allan dos Santos até que me mandaram isso pela manhã (de hoje), achei que era uma brincadeira. (…) Não sei nem que é esse cidadão, não vou atrás (para processá-lo). Certamente ou ele é imputável para falar uma loucura dessas ou está a serviço do gabinete do ódio. Ele merece o desprezo absoluto.”

O advogado acrescentou: “O que fiquei espantado é que se deu numa live da deputada federal Bia Kicis. Como uma deputada usa o prestígio que o parlamento tem para poder vir com uma história que é absolutamente ridícula?”.

*Com informações do Diário do Brasil/RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *