Wilson Lima reage após ser chamado de imbecil e ladrão por conselheiro do TCE-AM

 Durante o debate sobre a quebra do monopólio da Cigás, o conselheiro do TCE-AM, Ari Moutinho, chamou o governador Wilson Lima de analfabeto, imbecil e ladrão

 O governador do Amazonas, Wilson Lima, está cada vez mais encurralado. Após o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM), Ari Moutinho, chamá-lo de analfabeto, imbecil e ladrão, durante uma audiência pública virtual nesta segunda-feira (15), na Assembleia Legislativa (ALE-AM), a Secretaria de Comunicação do Governo emitiu nota com manifestação de Wilson Lima.

Nota

Tomei conhecimento na tarde de hoje do pronunciamento do Conselheiro do TCE-AM, Ari Jorge Moutinho da Costa Jr., durante audiência pública virtual realizada pela Assembléia Legislativa.

Repudio veementemente as acusações a mim proferidas. A postura é absolutamente inadequada a liturgia que deve ser seguida no exercício do cargo por ele ocupado.

A democracia permite ideias divergentes, mas são inadmissíveis ataques a honra de quem quer que seja. Não é um ataque vil ao cidadão Wilson Lima. É uma ofensa grave ao cargo de governador constituído democraticamente pelo povo.

Deixo registrado aqui que tomarei todas as providencias legais cabíveis para que tal conduta seja apurada e punida pela justiça.”

As acusações

Durante a audiência pública, o conselheiro do TCE desabafou:

“E esse governador analfabeto, imbecil, ladrão. Um homem que consegue transformar vinho em respirador. Rindo, dançando na cara do povo amazonense”, disse Ari Moutinho Júnior, depois de disparar contra os diretores da companhia de gás.

 

“Essa quadrilha vendeu o Banco do Estado do Amazonas lá atrás, vendeu a Cosama (Companhia de Saneamento do Amazonas) tem as mesmas digitais desses bandidos na Cigás. Basta! O Estado do Amazonas não aguenta mais. E não venha chorar depois, senhor Renê Levy, dizendo que o senhor não sabia como o senhor fez na região metropolitana”, disparou o conselheiro. Renê Levy é o diretor presidente da Cigás.

 

Ari Moutinho também chamou o governador de chefe de quadrilha. “Esse governador cleptomaníaco, chefe de quadrilha investigado pela Procuradoria da República tem que respeitar o povo do Amazonas. Senhores, me desculpem o desabafo, mas ouvir conversa fiada não cabe mais”.

E acrescentou:

“Essa quadrilha que vendeu o Banco do Estado do Amazonas lá atrás, que vendeu a Cosama [Companhia de Saneamento do Amazonas] tem as mesmas digitais desses bandidos na Cigás. Basta! O Estado do Amazonas não aguenta mais. E não venha chorar depois, senhor Renê Levy, dizendo que o senhor não sabia como o senhor fez na região metropolitana”, disparou o conselheiro. Renê Levy é o diretor presidente da Cigás.

STJ

O Superior Tribunal de Justiça está comandando as investigações contra compras superfaturadas pelo Governo Wilson Lima durante a pandemia. Somente na compra de falsos respiradores o governo “gastou” quase R$ 3 milhões.

Na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), a CPI da Saúde tem levantado dados surpreendentes sobre a metodologia utilizada pelo governo para superfaturar as compras dos ventiladores numa Casa de Vinho.

Nos bastidores da ALE-AM, a base de Wilson Lima já acredita que ele sofrerá o impeachment e que deverá ser preso pela Polícia Federal nos próximos dias.

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *