Governos do Amazonas e Rio de Janeiro são alvos da PGR

A Procuradoria-Geral da República pediu ao STJ autorização para mandar a Polícia Federal investigar os governos do Amazonas e Rio de Janeiro

Com a pandemia do novo corona vírus, ficou mais fácil roubar. Interceptação telefônica autorizada pela Justiça flagrou dois empresários que superfaturaram respiradores e outros equipamentos médicos conversando. Eles ficaram milionários atuando nos últimos governos do Rio de Janeiro, inclusive na gestão de Wilson Witzel.

Um deles disse para o outro que, por causa da dispensa de licitação ficou muito mais fácil roubar. E que a coisa estava rendendo.

Em dado momento, o investigado falou: ”a pandemia só vai acabar quando o dinheiro público acabar”.

É o que governadores e prefeitos Brasil afora estão querendo. Dinheiro para usar nas próximas eleições.

O presidente Jair Bolsonaro tem alertado que está havendo uma roubalheira geral por causa da pandemia. Quanto mais doentes, mais dinheiro na mão dos gestores estaduais. Cada morte por Covid-19 rende ao Estado R$ 16,5 mil, oriundo dos cofres públicos.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) autorização para que a Polícia Federal investigue a suposta participação de Wilson Wiltzel no esquema de superfaturamento na compra de equipamentos e remédios durante a pandemia..

Amazonas

O Governo do Amazonas também pode ser alvo de investigações. Depois da compra superfaturada de respiradores inadequados numa Loja de Vinhos, o governador Wilson Lima contratou, sem licitação, a empresa Petra Engenharia e Comércio de Eletrônicos Ltda., especializada em comércio de equipamentos de telefonia e comunicação, para fornecer alimentação para a Maternidade Cidade Nova Dona Nazira Daou (Cami-II), na zona norte,

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *