Caso Bolsonaro X Moro: PGR desmente jornalista da Globo

Os jornalistas de esquerda vivem num universo alternativo. Na dimensão no “novo jornalismo”, tudo é válido, desde que agrade aos patrões e manche as reputações dos adversários. Desta vez, o colunista do Globo, Lauro Jardim se deu mal.

A assessoria de comunicação da Procuradoria-Geral da República emitiu um comunicado desmentindo a afirmação do jornalista de que teria ‘ficado impressionado’ com relatos sobre vídeo da Reunião Ministerial, objeto de investigação do caso Moro X Bolsonaro. Sem citar Lauro Jardim, o órgão afirma que Aras sequer assistiu ao vídeo e não expôs sua ‘opinião’ com qualquer um.

“A propósito de colunas jornalísticas que atribuem ao procurador-geral da República, Augusto Aras, supostas reações ao vídeo de reunião ministerial exibido nesta terça-feira (12) no âmbito do inquérito 4.831, que tramita perante o Supremo Tribunal Federal (STF), a Procuradoria-Geral da República esclarece:

Augusto Aras não comentou com interlocutores suas impressões sobre o teor do vídeo nem manifestou qualquer juízo a respeito, seja porque não assistiu à gravação, seja porque não esteve reunido com os procuradores da República que a assistiram, visto que os procuradores, logo após a exibição do material, participaram das oitivas de ministros de Estado. O procurador-geral da República reitera que formará juízo acerca dos elementos constantes do inquérito somente ao término das diligências.”

O colunista havia afirmado que Augusto Aras teria comentado com supostos interlocutores que ficou “absolutamente impressionado” com os relatos que recebeu sobre o conteúdo do vídeo da reunião ministerial, exibido nesta terça (12), a pedido do Supremo Tribunal Federal.

“Pois bem, ao menos uma pessoa que esteve hoje com Aras contou que o PGR estava ‘absolutamente impressionado’ com o relato que recebeu sobre o conteúdo do vídeo da reunião ministerial de 22 de abril. Ainda segundo esse interlocutor, pelo tom do que foi dito por Aras, ele deve preparar a denúncia contra Bolsonaro”, escreveu o jornalista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *