Wilson Lima perde o controle do Estado

Com a cumplicidade de parlamentares, o governador e seu vice continuam cometendo erros graves que podem levar milhares de amazonenses à morte

governador Wilson Lima não tem mais capacidade para administrar o Amazonas. Desde o início de seu governo, Lima não conseguiu resolver os problemas da área de Saúde do Estado. Nesta quarta-feira (15/04), o registro de 106 mortos pelo Covid-19 e 1.554 casos confirmados da doença e um hospital de campanha alugado por R$ 2,6 milhões, sem previsão para entrar em funcionamento e 70 novos casos em 24 horas, com taxa de letalidade está em 6,8% mostram um enredo de um governo sem rumo.

O Amazonas está entre os três Estados em situação crítica.

O governador não está só neste enredo trágico. Com ele estão os deputados estaduais, federais e senadores, enquanto profissionais de saúde estão “morrendo” na linha de frente no enfrentamento ao coronavírus.

Denúncias

Médicos e enfermeiros denunciam diariamente  as faltas de estrutura no sistema de saúde pública, de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e atraso no pagamento dos salários.

O presidente da Associação Médica do Amazonas (AMA), Jorge Akel, por meio de um vídeo, informou que no ano passado mais de 550 médicos pediram transferências para outros estados, por conta dos atrasos constantes de salários. A maioria está residindo em São Paulo, Rio de Janeiro, no Brasil, e Lisboa (Portugal).

Mudança

Para agravar a situação, o governador Wilson Lima exonerou o então secretário de Saúde, Rodrigo Tobias e nomeou Simone Papaiz, indicada pelo governador de São Paulo, João Dória, desprezando os especialistas que trabalham em Manaus e reconhecidos internacionalmente na comunidade científica.

Pagamentos

No período de pandemia, o governo do Amazonas já gastou o montante de R$ 736,8 milhões para honrar gastos de gestões anteriores, como do governo José Melo, conforme o Portal da Transparência. O alto valor gerou críticas por parte dos deputados do Amazonas, mas tudo foi “esquecido” pela pressão da base aliada do governo.

Aluguel e leitos desocupados

No início deste mês, o governador Wilson Lima anunciou a criação de um hospital de campanha, no Hospital Nilton Lins, com 400 leitos prontos e com as devidas instalações elétricas e hidráulicas. Segundo o governador, o hospital começaria a funcionar na segunda-feira (13), mas a data foi adiada, sem previsão para o início dos atendimentos. Por três meses, o aluguel firmado é de R$ 2,6 milhões. Enquanto isso, o Hospital Delphina Aziz, tem quase duas centenas de leitos desocupados.

Além de respiradores e outros equipamentos, o Governo Federal tem liberado recursos para o Amazonas combater a propagação do coronavírus, mas o governador reclama da falta de recursos e já anunciou que pode atrasar os salários dos servidores. O Amazonas está num abismo…….

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *