Terceira onda do Covid-19 coloca diabéticos e cardíacos/hipertensos no ‘corredor da morte’

Manaus (AM) – Está chegando a terceira onda do Covid-19. O alerta foi dado pelos agentes de saúde de todo o Brasil. A Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC), com um quadro de 47,7 mil equipes no país, prevê novo estresse no sistema nas próximas semanas diante da falta de acompanhamento de pacientes crônicos, sobretudo cardíacos, hipertensos e diabéticos.

Essas doenças crônicas, que atingem 40%  (cardíacos/hipertensos), e 20% (diabéticos), respectivamente, são duas das principais comorbidades associadas às mortes pelo Covid-19. Sózinhas, elas já estão no topo dos óbitos no país.

Dados da SMBFC indicam que os doentes crônicos estão abandonados pelos agentes de saúde pública. Desde o anúncio da pandemia do novo coronavírus, os agentes de saúde e os hospitais especializados nesses atendimentos deixaram de prestar os serviços.

A Sociedade Médica prevê que o número de óbitos vai disparar nas próximas semanas devido o abandono dos pacientes com as comorbidades crônicas. Outro grupo que corre risco de morte é de pacientes renais,

No Amazonas

O Hospital Francisca Mendes, referência no tratamento de cardíacos no Estado, está praticamente de portas fechadas. A unidade hospitalar está realizando apenas avaliação de pacientes usuários de marcapasso e autorizando os exames de Tempo de Atividade da Protrombina (TAP).

Desde o início do Governo Wilson Lima, o Hospital Francisca Mendes tem enfrentado uma série de problemas, incluindo a falta de material humano e de insumos para a realização de cirurgias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *