Sindicato dos Médicos pede o impeachment de Wilson Lima e Carlos Almeida

O Governo Wilson Lima fez promoveu “farras” com o dinheiro público como os patriocínios do “Peladão a Bordo” e a Feira Agropecuária

A Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), depois de aprovar o pedido de intervenção federal na área da Saúde, votará esta semana o pedido de impeachment do governador Wilson Lima e do vice-governador Carlos Almeida Filho, protocolizado pelo Sindicato dos Médicos do (Simeam), em virtude da má gestão da saúde durante a pandemia do novo coronavírus.

O Sindicato elenca um série de motivos para o afastamento de Wilson Lima e Carlos Almeida, como o pagamento de mais de R$ 700 milhões de exercícios anteriores, gastos como a promoção do programa ‘Peladão à Bordo’ e realização da Expoagro, que custaram mais de R$ 1 milhão aos cofres do

“O pedido está baseado na negligência e omissão do estado em relação à Saúde, inclusive sendo responsabilizado da morte de pessoas da sociedade como um todo como de profissionais da Saúde. Nossa esperança é que a ALE acate este pedido”, afirmou Mário Viana, presidente do Simeam.

O Sindicato destaca que o Hospital e Pronto Socorro Delphina Aziz foi parcialmente inaugurado em 2014 e “desde 2019, quando Wilson Lima assumiu o governo e o vice passou a comandar a Secretaria de Saúde,  várias despesas foram realizadas, muitas delas sem qualquer sentido para a sua realização, como o aluguel de um estacionamento para realização da Expoagro 2019, da mesma forma que o pagamento de R$ 736 milhões para pagamento de dívidas das gestões anteriores no Estado do Amazonas”.

O Simeam pede que “seja admitido e autorizado por esse Poder Legislativo Estadual, a instauração do necessário processo de impeachment do Excelentíssimo governador do Estado do Amazonas, Wilson Miranda Lima, e do excelentíssimo vice-governador, Carlos Alberto Souza de Almeida Filho em razão da farta comprovação da prática de crime de responsabilidade e improbidade administrativa, na forma do caput, do art. 56, da Constituição do Estado do Amazonas e art. 74 e seguintes da Lei n.º 1.079/1950”.

 NOTA DA REDAÇÃO – Na manhã desta terça-feira, o editor do Portal Roteiro de Notícias teve uma conversa informal com um deputado da base aliada de Wilson Lima, quando este comentou que as possibilidades de cassação do governador e de seu vice dependia apenas de um pedido formal de alguma entidade. O deputado afirmou que está deixando a base do governo pois está coimprometendo o seu mandato ao ter que “fechar os olhos” para os desmandos do Governo do Estado.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *