MPF investiga estudo com cloroquina que causou 11 mortes em Manaus

O Ministério Público Federal (MPF) abriu inquérito nesta terça-feira (21/04) para investigar a suspensão de parte de uma pesquisa sobre o uso de cloroquina, em Manaus. estado do Amazonas. O estudo teria utilizado doses altas da substância. A suspeita é que pesquisa teria levado à morte 11 pacientes com Covid-19.

Outra parte do experimento, que ministra doses menores, continuaria em andamento. Essa pesquisa havia sido aprovada pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), ligada ao Conselho Nacional de Saúde (CNS), que conta com professores universitários e cientistas.

A cloroquina é um dos remédiso que estão sendo  testado no mundo para combater o novo coronavírus, mas faltam estudos conclusivos. Só no Brasil, 6 mil pacientes fazem parte de 12 testes, com resultados previstos para o fim de maio.

Os presidentes Donald Trump e Jair Bolsonaro são dois grandes defensores do uso, mas encontram resistência em parte da comunidade científica. Um dos efeitos colaterais da droga, utilizada no tratamento contra malária, lúpus e artrite reumatoide, é provocar arritmia cardíaca.

Alguns pesquisadores indicam que a hidroxicloroquina administrada em doses corretas entre o 2º e o 4º dia de contágio seria eficiente pois aumentaria o PH dos lissossomos de 4 para 6, impossibilitando a progressão da doença.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *