Golpistas discutem na Câmara os afastamentos de Bolsonaro e de Mourão

A proposta de emenda constitucional de um deputado petista pode ser votada a qualquer momento. Rodrigo Maia pediu assessoria para o presidente da OAB, Felipe Santa Cruz , para votar o impeachment do presidente Bolsonaro e impedir a posse de Mourão

Em meio ao pandemônio da pandemia, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, articula a votação da emenda constitucional nº 37, de  autoria de Henrique Fontana (PT-RS) e sob o comando de Rodrigo Maia (DEM-RJ), que estabelece “que em nenhuma hipótese o vice assumirá o cargo em definitivo, no caso de vacância ou impedimento do presidente da República, governadores e prefeitos”.

O projeto altera completamente o que prevê a Constituição de 1988 sobre o preenchimento desses cargos.

O endereço de destino da PEC é a Presidência da República.

No caso de vacância, impedimento ou que o presidente tenha o seu mandato interrompido, isso significa que a eleição ficará “zerada” ─ e o vice não poderá assumir o cargo em definitivo. A PEC n.º 37 estava adormecida nas gavetas da Câmara, aguardando uma ocasião oportuna. E o momento chegou para os conspiradores.

A proposta conta assinaturas do PT, PSOL, PDT, PSL, PRB, DEM, PCdoB, PR, Podemos, Solidariedade, PP, PROS, PSDB, MDB, Rede, Avante e PSC.

A PEC n.º 37 está em regime de tramitação especial e deverá ser encaminhada ao plenário para votação em dois turnos. Depois segue para o Senado.

Como não há sessões presenciais atualmente, poderá ser votada em “plenário virtual”, pela internet.

Rodrigo Maia, que sonha com a presidência da República, espera que seus comparsas (ops, colegas) compartilhem de seus delírios.

Twitter

O ex-deputado Roberto Jefferson, o homem que entregou o esquema do “Mensalão”, do qual fazia parte, postou no Twitter os esquemas de Rodrigo Maia e seus cúmplices no esquema do golpe:

Está tudo bem armado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *