Secretário de Bolsonaro testa positivo para o coronavírus

O secretário especial de Comunicação Social da Presidência da República, Fabio Wajngarten, teve teste positivo para infecção pelo novo coronavírus (Covid-19).

A Secom divulgou uma nota. Eis a íntegra:

“O Serviço Médico da Presidência da República adotou e está adotando todas as medidas preventivas necessárias para preservar a saúde do Presidente da República e de toda comitiva presidencial que o acompanhou em recente viagem oficial aos Estados Unidos, bem como dos servidores do Palácio do Planalto.

Isso porque um dos integrantes do grupo, o Secretário de Comunicação da Presidência da República, Fábio Wajngarten, é portador do novo coronavírus Covid-19, confirmado em contraprova já realizada.

O governo brasileiro também já comunicou às autoridades do governo norte-americano a ocorrência do evento para que elas também adotem as medidas cautelares necessárias.

O Secretário de Comunicação está cumprindo todas as recomendações médicas, em quarentena domiciliar, e só retornará ao seu trabalho quando não houver risco de transmissão da doença.”

Contatos

Wajngarten viajou entre os dias 7 e 10 deste mês ao lado do presidente Jair Bolsonaro, que também seria monitorado. Bolsonaro, aliás, faria uma viagem nesta 5ª feira (12.mar.2020) para Mossoró, no Rio Grande do Norte. A ida foi cancelada.

motivo do cancelamento, no entanto, estaria relacionado à necessidade de permanecer em Brasília para negociar o Orçamento impositivo com o Congresso e ao anúncio da OMS (Organização Mundial da Saúde) de que o coronavírus se tornou uma “pandemia”.

O MDR (Ministério do Desenvolvimento Regional), órgão que organizava o evento que teria a participação de Bolsonaro, divulgou uma nota à imprensa com a justificativa para o cancelamento. Uma nova data para a cerimônia será marcada. Eis a íntegra:

“O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) informa o adiamento do evento ‘Aqui é Rio Grande do Norte, Aqui é Brasil’, marcado para esta quinta-feira (12), em Mossoró (RN). Dada a declaração pela Organização Mundial de Saúde (OMS) de que enfrentamos uma pandemia causada pelo coronavírus, avaliou-se como prudente adiar a solenidade. Além disso, a negociação sobre o Orçamento com o Congresso Nacional exige a presença do presidente Jair Bolsonaro em Brasília.”

Já o ministro Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional), em declarações gravadas em sua conta no Twitter, citou principalmente “razões de segurança sanitária” para que o evento não ocorresse. “A decretação de uma pandemia mundial nos obriga a ter maior segurança com o presidente da República e com as pessoas que estão em seu entorno”, disse Marinho.

Apesar de ter que negociar o Orçamento com o Congresso, como foi mencionado pelo MDR, o presidente Jair Bolsonaro ainda não saiu do Palácio da Alvorada –residência oficial da Presidência– nesta quinta- feira. O Planalto também não divulgou compromissos oficiais do presidente.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *