Prefeitura organiza campanha de luta contra a tuberculose

Manaus (AM) – Com o registro de 2.313 casos novos de tuberculose no ano passado na capital, a Prefeitura de Manaus iniciou nesta segunda-feira, 16/3, a Campanha Municipal de Luta contra a Tuberculose. A programação está sendo executada nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), com ações de Educação em Saúde, abordando sinais e sintomas da tuberculose, identificação de casos suspeitos, coleta de material para o teste de escarro e testagem rápida para HIV, sífilis e hepatites virais.

“A prefeitura promove a campanha todos os anos, marcando o Dia Mundial de Luta contra a Tuberculose, no dia 24 de março, com o objetivo de intensificar as ações de comunicação, mobilização social e educação em saúde. Além de alertar para a importância da detecção precoce da tuberculose, o objetivo é ampliar o conhecimento da população sobre sinais e sintomas da doença. A orientação do prefeito Arthur Virgílio Neto é que nosso foco seja sempre a prevenção para evitar que as pessoas adoeçam”, destacou o secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi.

No ano passado, a campanha promovida pela Semsa atingiu 11.476 pessoas em 621 atividades, executadas por 113 Unidades de Saúde da rede municipal.

e acordo com o chefe do Núcleo de Controle da Tuberculose da Semsa, enfermeiro Daniel Sacramento, o trabalho de intensificação na campanha de 2019 teve como resultado a detecção de 59 casos novos de tuberculose, entre 830 suspeitos identificados e examinados, e também foram examinados 280 contatos domiciliares de pessoas com a doença e resgatados 22 pacientes que estavam faltosos ao tratamento.

“O exame dos contatos domiciliares dos pacientes com tuberculose pulmonar, com confirmação laboratorial, é uma importante medida para se detectar outros casos da doença na família e realizar medidas de proteção aos contatos saudáveis, contribuindo para a quebra da cadeia de transmissão”, explica Daniel Sacramento.

Diagnóstico

A tuberculose é uma doença infecciosa e transmissível, causada da micobactéria Mycobacterium tuberculosis ou Bacilo de Koch (BK), que afeta prioritariamente os pulmões, embora possa acometer outros órgãos e sistemas do corpo humano. O principal sintoma da tuberculose é a tosse. Por isso, recomenda-se que todo sintomático respiratório – pessoa com tosse por três semanas ou mais – seja examinado.

Para o diagnóstico da tuberculose são utilizados os seguintes exames: baciloscopia, teste rápido molecular para tuberculose e cultura para micobactéria, além da investigação complementar por exames de imagem.

Em 2019, relacionado aos procedimentos laboratoriais para diagnóstico da tuberculose nos Laboratórios Distritais da Semsa, foram realizados 1.725 exames de baciloscopia de escarro, 5.343 exames de cultura de escarro e 12.230 testes rápidos moleculares.

“Para ampliar a capacidade de avaliação dos contatos de doentes com tuberculose, a Semsa aumentou no ano passado o número de unidades de referência para o diagnóstico e tratamento da infecção latente da tuberculose, passando de 12 para 18 unidades”, informa Daniel Sacramento.

Programação

Durante o período da campanha, que seguirá até o dia 31 de março, os profissionais de saúde irão realizar a intensificação da busca ativa de Sintomáticos Respiratórios na própria Unidade de Saúde e entre populações vulneráveis da área de abrangência do serviço (indígenas, pessoas em situação de rua, privadas de liberdade, pessoas que vivem em instituições de longa permanência e pessoas que vivem com HIV/Aids), assim como busca de faltosos ao tratamento e exame dos contatos de casos de tuberculose em tratamento.

“A rápida identificação do sintomático respiratório, que é a pessoa com tosse seca ou produtiva por três semanas ou mais, permite o diagnóstico precoce da doença e o início imediato do tratamento”, esclarece Daniel Sacramento.

A programação da campanha também engloba um curso sobre a Infecção Latente da Tuberculose para médicos e enfermeiros da rede municipal e ações em terminais de ônibus.

Transmissão

A tuberculose é uma doença de transmissão aérea. Ao falar, espirrar e, principalmente, ao tossir, as pessoas com tuberculose ativa lançam no ar partículas em forma de aerossóis que contêm bacilos, podendo transmitir a doença para outras pessoas.

O tratamento da tuberculose é gratuito e disponibilizado no Sistema Único de Saúde (SUS). A duração do tratamento é de, no mínimo, seis meses, e todos os pacientes que seguem o tratamento corretamente ficam curados.

O principal sintoma da tuberculose é a tosse, mas também podem estar presentes sintomas como febre vespertina, sudorese noturna, emagrecimento e cansaço/fadiga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *