Lula perde mais uma no STJ

Os advogados que atuam na de Lula da Silva recorrem, recorrem, recorrem…. ……….. e recorrem na tentativa de livrar o ex-presidente da sentença de Sérgio Moro no caso do triplex. Mas, o que parece, é que o ex-juiz e agora futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, deu um “n[o de marinheiro”: ninguém desata.

Na sexta-feira, 23, o ministro Felix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que conduz os processos da Lava Jato na Corte, rejeitou mais um recurso da defesa do ex-presidente Luiz que tentava reverter sua condenação por corrupção e lavagem de dinheiro a 12 anos e 1 mês de prisão em regime fechado no caso triplex.

A defesa do ex-presidente buscava a absolvição e a anulação da ação movida contra Lula, no qual o ex-presidente foi condenado pela 13ª Vara Federal de Curitiba e pelo TRF-4.

Fischer rejeitou ainda os recursos de Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, e de Agenor Medeiros, ex-executivo da construtora e sequer analisou o recurso do presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto. Ainda existe espaço para a defesa recorrer.

Ainda se baseando na rejeição da candidatura à Presidência da República do ex-presidente Lula (que ocorreu por causa de sua condenação no caso do triplex, uma vez que pessoas condenadas na segunda instância perdem o direito de se candidatar de acordo com a lei da ficha limpa) o advogado Zanin continua com a narrativa da perseguição política:

“Não conhecemos o teor da decisão proferida pelo Ministro Relator, mas é inegável que um recurso dessa importância, relativo a um processo marcado por tantas nulidades e ilegalidades e claramente usado como instrumento de perseguição política contra o ex-presidente Lula, deveria ser julgado pelo órgão colegiado, com a observância de todos os ritos e formas asseguradas pela garantia constitucional da ampla defesa”.

Assim comoa narrativa da perseguição política segue, também, a prisão de Lula

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *