Palocci ‘abre o bico’ e entrega Lula, Dilma e Dirceu

A delação premiada que o ex-ministro Antonio Palocci firmou com a Polícia Federal foi homologada pelo desembargador Gebran Neto, do TRF-4. Nela, Palocci expõe as vísceras da corrupção do Partido dos Trabalhadores durante os governo Lula da Silva e Dilma Rousseff.

No primeiro anexo da delação é tratado o “loteamento de cargos na Petrobras e sua utilização pelo governo federal para prática de crimes”.

O ex-ministro fala da divisão interna no governo entre o seu grupo (mais programático) e o de José Dirceu (mais pragmático). Embora propunham linhas diferentes na relação com os partidos da base, ambos praticaram crimes.

Integravam o “grupo de Palocci” o deputado Miro Teixeira (candidato ao Senado), o ex-deputado José Genoíno e o falecido Luiz Gushiken. Já Dirceu contava com o apoio de Marco Aurélio Garcia, também falecido, e às vezes com Dilma Rousseff.

Leiam a íntegra do primeiro anexo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *