‘Não me mate, filha. Eu te amo!

O pedido desesperado de uma mãe ao ver sua filha a levando para a morte>

“Não me mate, filha! Sou sua mãe. E te amo!”

“Eu não tenho mãe!”.

Esse foi o últino pedido da comerciante Dircelene Botelho, 51 anos, a sua filha única, Paloma Botelho de Vasconcelos, de 21, presa junto com o namorado, Gabriel Neves, de 26 anos, depois de confessar o assassinato da mãe, em Petrópolis, na Região Serrana do Rio.

Ocorrido no último dia 2, o assassinato que aconteceu dentro do quarto da vítima, causou comoção na cidade, deixando perplexo o viúvo de Dircelene, o comerciante Manuel da Silva, de 68 anos. Segundo Manuel, o diálogo foi descrito pela própria Paloma na 105ª DP (Petrópolis).

“Ainda não estou com a razão plena. Estou meio abobalhado. Sem querer acreditar no que aconteceu. Paloma me pediu para comprar formol dizendo que seria para fortalecer suas unhas. Até que ponto ela poderia ir? – indagou Manuel da Silva.

Segundo Manuel, o formol acabou sendo comprado por conta própria por Paloma. A embalagem plástica com o produto ainda se encontra no banheiro da jovem na casa da família. O produto, segundo depoimentos de Paloma à polícia, foi usado para entorpecer Dirce a fim de facilitar a asfixia com saco plástico. Paloma ainda teria tentado aplicar uma injeção de ar para forçar uma embolia.

Manuel da Silva disse que, aos poucos, vai montando um quebra-cabeças. A confortável casa onde a família morava no Bingen tem muitas câmeras de segurança. A residência fica no sobrado e há uma loja de móveis embaixo. Todo o prédio de três andares pertence à família. Câmeras internas flagraram o momento em que Paloma abre a porta para Gabriel entrar e ajudar a executar o crime.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *