Um desses deputados recebeu o agressor de Bolsonaro

Adélio Bispo de Oliveira, o homem que tentou assassinar o candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro, era filiado ao PSOL, partido a que militou até o ano de 2014.

Em 2013, ele fez uma visita à Câmara dos Deputados, certamente para visitar um dos parlamentares de seu partido.

Na época, o PSOL tinha em sua bancada apenas três deputados: Jean Wyllys, Chico Alencar e Ivan Valente.

Não vai ser difícil descobrir quem recepcionou Adélio Bispo de Oliveira. A Câmara já está diligenciando nesse sentido.

Um fato a princípio insignificante, mas que na realidade pode ser importante nas investigações, pois pode ajudar a identificar as ligações políticas do criminoso, pois suspeita-se de crime político.

Numa foto colhida após a visita, Adelio aparece ao lado de alguns amigos, na frente do Congresso Nacional.

Ele tinha a pretensão de ser candidato a deputado federal. Deixou o PSOL e aproximou-se do PT, onde foi ativo participante do movimento Lula Livre.

Linguagem

Parlamentares do grupo de Jair Bolsonaro e jornalistas não alinhados com com os comunistas, ficaram surpresos com o discurso de Adélio. Sempre falando na 3ª pessoa, como “prentendíamos”, “planejamarmos”, mostrou ser um indivíduo articulado e equilibrado no comportamento. O perfil mostrou uma pessoa que parece ter sido treinada e financiada por grupos para praticar o ato terrorista.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *