“Querem me tirar no tapetão?”, questiona Bolsonaro sobre impugnação no TSE

Réu em duas ações penais sob acusação de incitação ao estupro e alvo de outra denúncia por racismo que deve ser analisada na próxima semana pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) perguntou se querem tirá-lo da disputa eleitoral no tapetão e no ativismo judicial depois de ser questionado nesta quinta-feira (23) sobre a contestação a sua candidatura no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Na semana passada, um advogado de Mangaratiba (RJ) entrou com uma representação na Justiça Eleitoral contra o candidato. Rodrigo da Luz argumentou que o deputado federal não pode exercer a Presidência da República por já ser réu no Supremo por suposto crime de apologia ao estupro e injúria — ele disse que não estupraria a também deputada Maria do Rosário (PT-RS) porque ela não merece. Os processos estão sob a relatoria do ministro Luiz Fux.

Olha, o que que é réu? Acho que alguém aqui já foi réu na vida, né? E foi absolvido. Querem me tirar no tapetão, no ativismo judicial?, questionou Bolsonaro, durante entrevista coletiva em Araçatuba (SP), onde realizou atos de campanha nesta quinta. Sou réu por apologia ao estupro. Olha só, estou estimulando o estupro no Brasil, disse, em tom de ironia.

Olha que inversão de valores: aquela deputada estava defendendo o estuprador e homicida Champinha, em 2003, e quando em dado momento ela me chama de estuprador, eu falo que não vou estuprá-la porque ela não merece. Pronto, afirmou. Se eu tivesse falado que vou estuprar porque merece, seria herói nacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *