Astrônomos monitoram ‘charuto’ que cruzou Sistema Solar

Um asteroide interestelar que visitou o nosso Sistema Solar é considerado por cientistas um dos objetos cósmicos mais alongados já conhecidos. Ele foi descoberto em 19 de outubro, e sua velocidade e trajetória sugerem que se originou em um sistema planetário que orbita ao redor de outra estrela, e não o Sol.

Astrônomos têm se empenhado em observar essa rocha espacial única, batizada como Oumuamua – em havaiano, “mensageiro de muito longe que chega primeiro” – antes que ela desapareça do nosso campo de visão.

Os resultados dessas observações sugerem que o objeto é pelo menos dez vezes mais comprido do que largo. Essa diferença entre largura e comprimento é a maior observada em qualquer asteroide ou cometa visto no nosso Sistema Solar.

Usando o Very Large Telescope (VLT) do Chile, Karen Meech, do Instituto de Astronomia de Honolulu, no Havaí, e outros colegas pesquisadores verificaram que o objeto tem cerca de 400 metros de comprimento, apresenta uma rápida rotação e está sujeito a dramáticas mudanças de luminosidade.

Essas alterações de brilho, inclusive, foram a chave para a descoberta do formato desse asteroide.

Segundo Meech, os astrônomos observaram a base de dados de curvaturas de asteroides para classificar o Oumuamua, e perceberam que só cinco objetos possuíam curvas discretas que sugerem formato alongado.

“Nossa margem de erro é muito pequena, então estamos confiantes de que ele é muito alongado”, diz Meech.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *