A Casa da mãe Joana

Vamos entender o Brasil. No atual cenário podemos dizer que o país não passa de uma “Casa da mãe Joana” – um lugar onde todos mandam, sem organização, onde cada um faz o que quer, principalmente se integrar o grupo ditatorial que, sem um voto, adota medidas que chocam a população.

A expressão “casa da mãe Joana” teve origem no século XIV, criada graças a Joana I, rainha de Nápolis e condessa de Provença, que viveu entre 1326 e 1382.

A rainha teve uma vida conturbada e em 1346 mudou de residência para Avignon, na França. Alguns autores afirmam que esta mudança ocorreu porque Joana se envolveu em uma conspiração em Nápoles que resultou na morte de seu marido André, enquanto outros indicam que Joana foi exilada pela Igreja por viver de uma forma sem regras e permissiva.

Em 1347, quando tinha 21 anos, Joana normatizou os bordéis da cidade onde vivia refugiada, criou certas regras para impedir que alguns frequentadores agredissem as prostitutas e saíssem sem pagar. Para as meretrizes, Joana era como uma mãe e por isso os bordéis eram conhecidos como “casa da mãe Joana”. Em Portugal, a expressão paço-da-mãe-joana é sinônimo de prostíbulo.

E no Brasil? Aqui a expressão “casa de mãe Joana” passou a significar o lugar, ou grupo, onde se faz o que entende. A história nos remete à ideia de que transformaram o Brasil num grande prostíbulo. Pessoas, sem um voto, querem governar, proteger corruptos, tramar contra o executivo e usar uma prisão como moeda de troca para impedir que uma deputada assuma a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Federal para saírem do foco.

Isso nos faz lembrar que a covardia em tomar uma decisão drástica transforma os “homines sunt ejusdem farinae” – em tradução livre, homens da mesma farinha -, expressão utilizada para generalizar um comportamento reprovável.

A metáfora faz referência ao fato que os bons andam com os bons, enquanto os maus preferem os maus. Ou os bons enquadram os maus ou só aprenderemos a contar até 11.


Rosalvo Reis

Rosalvo Reis

Editor do Portal Roteiro de Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *