Cuidado com os sugadores de energia!

Sim, sim isso acontece! Atire a primeira pedra quem nunca ficou perto de alguém e, poucos minutos depois, começou a bocejar, bateu uma dorzinha de cabeça ou deu um sono danado? A gente se sente cansado e desaminado! Essas pessoas, conscientemente ou inconscientemente, são capazes de contaminar o ambiente e acertar em cheio nos nossos pontos fracos, minando a nossa energia física e mental! Mas, é claro que nem sempre a gente escolhe estar perto dessas pessoas. No trabalho, por exemplo, por mais que a energia não bata, a convivência e a determinação pelo alcance de um objetivo em comum, o sucesso da empresa, são fatores que pesam e acabam contribuindo para uma relação pouco desejável! Como lidar com isso?

Quando o santo não bate

Bom, em primeiro lugar é preciso ter a sensibilidade em perceber que o contato trás consequências para a saúde física e mental, pois, muitas vezes, a gente acha que pode ser por qualquer motivo a dorzinha de cabeça ou o cansaço repentino, menos que se trata da energia de alguém! Geralmente, com o passar do tempo, a ficha cai, já que fica aquela sensação de que todas as vezes que a gente encontra aquela pessoa, acontece a mesma situação desagradável!

Depois dessa constatação o resto fica menos difícil! Observar o comportamento também é uma boa maneira para corroborar com a percepção. Geralmente, são pessoas insatisfeitas na maior parte do tempo, são críticas demais, não mostram muito bem quem são ou o que pensam, são ingratas, pois você pode fazer o que for mas nunca, eu disse nunca, estão felizes, agradecidas ou satisfeitas, querem sempre mais! Se fazem de vítimas do sistema. São sempre coitadas e ou injustiçadas. São narcisistas, o problema delas é mais importante ou maior do que dos outros. O mundo precisa girar em torno de si!

Agora que a gente já sabe que a criatura suga a nossa energia, mas que precisamos conviver por conta do trabalho e que o seu comportamento reafirma se tratar de uma energia sugadora, o que fazer pra se proteger?

Compaixão

Eu diria que procurar entender o universo dessa pessoa é uma boa forma de tentar romper com essa natureza sugadora! Às vezes temos esse tipo de energia na família, entre amigos e até em relacionamentos conjugais. Então que tal tentarmos ajudar? Buscando oportunidades em demonstrar interesse pelo relacionamento, ser transparente e tentar uma conversa franca, direta e empática!

Proteja-se

E se a situação não melhorar, melhore você! Se já sabe que sempre virá uma opinião ou comentário para te desestabilizar, não dê força, afinal, você sabe de onde está vindo, então, melhor desconsiderar! Medite, mantenha seu ser equilibrado e sua saúde mental protegida. Escute uma boa música, faça exercícios, tome um banho demorado, relaxe ou dê gargalhadas de uma boa piada. Assim, você não sentirá tanto o impacto do sugador! E se prepare para o próximo dia! Se você sofre com esse contato, lembre-se que o sugador sofre muito mais, pois está preso em sua própria armadilha!


Cristina Monte

Cristina Monte

Jornalista, especialista em Comunicação Empresarial (Cásper Líbero), Responsabilidade Social (FUCAPI) e em Divulgação Científica em Saúde na Amazônia (FIOCRUZ-AM). Além disso, Cristina é graduada em História pela UFAM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *