Os corruptos e o gato de Schrödinger

“Não somos nada além de imagens de imagens. A realidade, incluindo nós mesmos, não passa de um véu fino e frágil, além do qual… não há nada.” Carlo Rovelli (Físico italiano)

Assistindo o momento político do Brasil, divago para o que realmente interessa. Assisto senadores reconhecidamente desonestos agredindo verbalmente depoentes e falando de moralidade, quando são representantes do caos e da desonestidade. Não percebem que não passam de imagens distorcidas daquilo que eles acreditam ser vida.

Se conhecessem um pouco do Física temeriam ser considerados “mortos” para os observadores da exibição de um espetáculo dantesco e trágico. Isso me faz lembrar da Física Quântica, tão comentada, mas pouco conhecida, mesmo por aqueles que se apresentam no picadeiro político como engenheiros.

Considere o conhecido quebra-cabeça quântico do gato de Schrödinger. Colocamos um gato em uma caixa com algum veneno mortal (como um frasco de gás venenoso) desencadeado por um processo quântico (como o decaimento de um átomo radioativo), e fechamos a tampa.

O processo quântico é um evento aleatório. Não há como prever, mas podemos descrevê-lo de uma maneira que nos diga as diferentes possibilidades do átomo decair ou não em algum período de tempo. Como o decaimento desencadeará a abertura do frasco de gás venenoso e, consequentemente, a morte do gato ou a vida do gato é um evento puramente aleatório.

De acordo com a teoria quântica ortodoxa, o gato não está morto nem vivo até abrirmos a caixa e observarmos o sistema. A dúvida permanece sobre como seria o ponto de vista do gato não estando morto nem vivo.

Mas de acordo com a interpretação relacional, o estado de qualquer sistema é sempre em relação a algum outro sistema. Assim, o processo quântico na caixa pode ter um resultado indefinido em relação a nós, mas ter um resultado definitivo para o gato.

Portanto, é perfeitamente razoável que o gato não esteja morto nem vivo para nós, e ao mesmo tempo estar definitivamente vivo ou morto. Um fato é real para nós, e um fato é real para o gato. Quando abrimos a caixa, o estado do gato se torna definitivo para nós, mas o gato nunca esteve em um estado indefinido por si mesmo.

Na interpretação relacional não há visão global, “olho de Deus” da realidade.

O que isso nos diz sobre a realidade?

O físico italiano Rovelli argumenta que, como nosso mundo é, em última análise, quântico, devemos prestar atenção a essas lições. Em particular, objetos como seu livro favorito que só podem ter suas propriedades em relação a outros objetos, incluindo você.

Felizmente, isso também inclui todos os outros objetos, como sua mesa. Então, quando você vai trabalhar, seu livro favorito continua a existir como quando você o segurava. Mesmo assim, esta é uma reformulação dramática da natureza da realidade.

E a realidade do desejo de um povo está ansiosa pelas “mortes” das imagens da maldade, da corrupção e da mentira – tripé que serve de base para os políticos que usurpam do poder para escravizar um país.

Mesmo que eles não tenham percebido, estão “mortos” na imaginação quântica dos eleitores.


Rosalvo Reis

Editor do Portal Roteiro de Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *