Deputado repudia nota e apresenta novos dados sobre obra do TCE-AM

Manaus (AM) – O deputado estadual Delegado Péricles(PSL)  repudiou, na manhã desta quarta-feira (17), nota emitida pelo Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM) acusando o deputado estadual Serafim Corrêa de ´faltar com a verdade´ ao falar sobre pregão anunciado pelo órgão de controle  e, ainda, apresentou valores no projeto base muito acima do praticado pelo mercado ou incoerentes com o objeto anunciado.

“Não se trata de acusar um parlamentar e sim, uma Casa inteira, eleita e representante de 4 milhões de pessoas. Não é com essa agressividade que o TCE-AM vai atender às necessidades da população. Em vez de acusar um parlamentar, o órgão devia apresentar explicações sobre um pregão que nem ao menos sabemos se aconteceu”, criticou Péricles.

Para o deputado estadual, é no mínimo “estranho” o sigilo sobre o pregão que tem como objetivo a contratação de empresa para a construção de um muro e a limpeza de  terreno do Tribunal por R$7milhões.

“Ontem trouxe à Tribuna o valor absurdo proposto no projeto básico para a  fachada da escola de contas, de R$2milhões. Hoje, trago o valor proposto para o engenheiro de quase R$18mil, quando pelo conselho, o salário base é de R$8.800 , quase o dobro”, continuou o deputado.

Além desse valor, Péricles levantou o total de R$1,289milhão apresentado para pregão como sendo para a limpeza e demolição no local da obra, valor próximo ao apresentado em mensagem à Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) como sendo para a execução de toda a obra. “Como o projeto básico apresenta pra parte da obra a mesma faixa de  valor que pediu aprovação da Aleam para a execução completa dela? Isso é, no mínimo, estranho e precisa ser explicado por órgão que devia zelar pelo uso do dinheiro público”, complementou.

Ainda tendo como base a nota emitida pelo Tribunal na última semana, Péricles questiona trecho que o Órgão de Controle justifica altos valores como estimativa para a obra. “O valor estimado é calculado dentro de uma tabela. Não se varia assim pra que chegue a menos da metade. Eu até desafio o Tribunal de Contas a apresentar qualquer processo licitatório  dentro de obras e serviços que tenha sido adjudicado por menos da metade”, concluiu.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *