Dermilson denuncia falta de investimentos do Estado em escolas de Tefé

Manaus (AM) – O deputado Dermilson Chagas (Podemos) denunciou que, apesar do Governo do Amazonas ter uma receita de mais de R$ 17 bilhões até o presente momento, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) não está realizando investimentos na área de Educação, como o governador Wilson Lima vem anunciando com o programa Educa+ Amazonas, que tem orçamento de R$ 400 milhões e que foi lançado no dia 23 de julho, em evento com aglomeração de pessoas no Centro de Convenções do Amazonas.

O parlamentar disse que tem recebido constantes denúncias de falta de estrutura, ausência de professores, falta de merenda escolar, falta de segurança dentro das unidades de ensino estaduais e nos arredores, entre outros problemas em escolas da capital e, principalmente, do interior do Estado.

No último sábado (9/10), o deputado Dermilson Chagas conversou com estudantes e moradores de Tefé (a 523 km de Manaus, em linha reta), que confirmaram que a Escola Estadual Santa Tereza, localizada no centro do município, tem problemas com condicionadores de ar velhos e que, por este motivo, vários estudantes já foram retirados de sala de aula desmaiados ou passando mal devido ao forte calor.

Os estudantes fizeram vários vídeos e postaram em suas redes sociais e no Facebook da escola, que a Seduc retirou do ar devido à repercussão negativa da situação. Nos vídeos, os alunos dão depoimentos dramáticos sobre a dificuldade de estar em uma sala com janelas e portas fechadas tendo de suportar calor, restando-lhes como única saída se abanarem com as capas de seus cadernos. Quem tenta acessar o Facebook da escola encontra a mensagem: “Esta página não está disponível. O link pode não estar funcionando ou a página pode ter sido removida”.

Na página de busca do Google, quando se digita o nome da unidade de ensino, a pesquisa da plataforma dá acesso a comentários de usuários. Todos são negativos e contêm várias reclamações sobre falta de estrutura material e de pessoal na escola.

As denúncias dos alunos chegaram até as redes do deputado Dermilson Chagas que disse que não existe justificativa para a falta de investimentos, especialmente porque o Estado está com excesso de arrecadação tributária. Segundo o Portal da Transparência, somente neste ano, já foi autorizado para a Seduc o montante de mais de R$ 3 bilhões (R$ 3.201.617.138,02).

“Então, percebe-se claramente que não é falta de recursos, porque dinheiro há o suficiente. O que está faltando é planejamento, foco para detectar as prioridades e, principalmente, não utilizar o orçamento do órgão em compras indevidas, como a recente aquisição de instrumentos musicais e kits inúteis para alunos e professores, que, além de superfaturados, foram jogados fora porque a maioria dos materiais estava inutilizado já, como eu denunciei há alguns meses”, lembrou o deputado.

Visita à escola

Após ouvir a população, o deputado Dermilson Chagas visitou, no sábado (9/10), a Escola Estadual Santa Tereza, que se encontrava abandonada, sendo que nem vigia havia no local. O parlamentar criticou a falta de segurança na unidade escolar, que, sem vigia, pode ser alvo de furtos. O parlamentar pôde constatar que havia vários aparelhos de ar-condicionado em um dos corredores da escola, sendo alguns novos e outros usados. Nenhum dos condicionadores de ar estava em caixa, o que pode prejudicar o seu funcionamento.

“Eles não foram instalados e, enquanto isso, muitos alunos passando mal por falta de ar-condicionado, com um calor terrível e uma sensação térmica horrível. O que nós podemos dizer é que o Governo do Amazonas deixou a educação numa situação precária e, o que é pior, sem justificativa nenhuma porque há recursos suficientes”, assegurou Dermilson Chagas.

Orçamento bilionário 

Neste ano, a dotação inicial da Seduc era de R$ 2.805.749.000,00. Foram autorizados R$ 3.201.617.138,02. Até o momento, a Seduc já empenhou R$ 2.199.619.038,21. O órgão já liquidou R$ 1.732.445.378,73 e vai liquidar ainda R$ 467.173.659,48. A Seduc já pagou R$ 1.703.852.273,90, tendo ainda de pagar mais R$ 28.593.104,83.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *