Ex-presidente da Bolívia é encontrada escondida dentro de cama box

A ex-presidente da Bolívia Jeanine Áñez foi presa na madrugada deste sábado (13) devido a uma investigação sobre um suposto golpe de Estado contra o ex-presidente esquerdista Evo Morales. Policiais encontraram a ex-presidente escondida dentro de uma cama box.

O Ministério Público boliviano ordenou a prisão de Jeanine Áñez e cinco de seus ex-ministros. O ex-ministro da Energia, Rodrigo Guzmán, já foi preso em Trinidad. Os outros ministros são Arturo Murillo, Yerko Núñez, Luis Fernando López e Álvaro Coimbra, ainda não localizados pela polícia.

Ilegaliade

A televisão boliviana mostrou Áñez chegando ao aeroporto de El Alto, que serve La Paz, momento em que ela acusou sua prisão como “ilegal”. Junto a ela, que não estava algemada, estavam o ministro do Governo (Interior) Carlos Eduardo del Castillo e vários policiais.

“Informo ao povo boliviano que a senhora Jeanine Áñez já foi presa e neste momento está nas mãos da polícia”, anunciou antes Del Castillo em suas contas do Twitter e Facebook, parabenizando as forças de ordem pelo seu “grande trabalho (…) nesta grande e histórica tarefa de fazer justiça ao povo boliviano”.

A ex-presidente denunciou nas redes sociais “um ato de abuso e perseguição política”. O governo “me acusa de ter participado de um golpe de Estado que nunca aconteceu”, disse Áñez em sua conta do Twitter. Em sua primeira reação pública, o ex-presidente Evo Morales pediu no Twitter que “se investigue e sancione os autores e cúmplices” do que denunciou como um “golpe de Estado” contra ele, mas sem mencionar sua sucessora Áñez.

Em La Paz, a ex-senadora de 53 anos foi levada para um quartel da Polícia e depois para os escritórios do Ministério Público, onde deu suas declarações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *