Na Suframa, Josué e Polsin debatem pautas do Governo Bolsonaro para a economia do Amazonas

Manaus (AM) – O presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado Josué Neto (PRTB) reuniu-se, nesta sexta-feira (2), com o superintendente da Zona Franca de Manaus (Suframa), general do Exército Brasileiro (EB) Algacir Polsin, e debateu temas como mineração, saneamento básico, abertura do Mercado do Gás Natural, Polo Industrial de Manaus (PIM), Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA), Estrada Georgetown a Boa Vista, BR-319, dentre outras pautas que o Governo Bolsonaro está apostando para alavancar a economia,  gerar renda e empregos para a região Amazônica.

“Hoje o presidente Bolsonaro tem pautas importantes para a Amazônia. Algumas incluindo Roraima com desdobramentos bons para o Amazonas como é o caso da plantação de milho para produção de etanol”, relatou Josué.

O deputado também destacou que a mineração é uma pauta muito importante para o Estado e relembrou que a Polícia Federal (PF), após apreensão de pedras preciosas, avaliou que o tráfico de minérios pode gerar lucro de R$ 200 milhões, por mês, em Rondônia. “Você imagina esse trabalho feito de forma oficial, legalizada, quanto é que não geraria? E quando a gente fala de mineração tem o nióbio no Alto Rio Negro, potássio na região do Madeira e Médio Amazonas, é uma atividade que beneficiará diversos municípios”, comentou o presidente.

De acordo com Josué, para o novo marco regulatório do saneamento básico não existe capital no Brasil que precise mais desse novo programa do que Manaus.

Mais pautas

O parlamentar afirmou que defende a bandeira do Novo Marco Regulatório do Gás Natural no Amazonas. “Na questão do Gás Natural eu acredito muito no que Deus nos deu. Onde tem mais gás natural no Brasil, é no Amazonas. A energia no Amazonas é a base da queima de óleo diesel, só tem uma coisa pior do que o óleo diesel que é a energia nuclear. Estamos queimando óleo diesel na Amazônia. No Peru, Colômbia e Venezuela não se tem mais energia de queima de óleo diesel. Os países menos desenvolvidos que a gente já utilizam o gás natural e o Brasil ainda queima óleo diesel. A gente tem o gás na porta da nossa casa, o gás é nosso, tá no nosso solo e a gente não usa. Por quê? Porque grupos econômicos tem o monopólio contra a população e contra o que é bom para o planeta”, disse lembrando que o Estado ainda precisa da regulamentação do gás.

De acordo com Polsin, a Suframa tem buscado fazer um papel integrador e facilitador, alinhados as políticas e trabalhos do Governo Bolsonaro. Ele explicou que as propostas de Josué sobre mineração, gás natural estão de acordo com planos da Suframa, que inclui abrir linhas de pesquisas para incentivar a bioeconomia e a bioindústria.

Visita

Josué esteve em Brasília, no início de setembro, em reunião com general da reserva Eduardo Villas Bôas, que é o atual assessor especial do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e conselheiro do presidente Jair Bolsonaro para questões de Defesa e desenvolvimento da Amazônia. Na ocasião Josué tratou sobre uma série de temas importantes para o desenvolvimento do Amazonas, como gás natural, mineração, BR-319 (Manaus – Porto Velho), a estrada que ligaria Boa Vista (RR) a Georgetown (Guiana) – criando uma nova rota econômica de integração América do Norte, Caribe, Amazônia e Brasil. Tratou ainda sobre o  Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA) e fiscalização das fronteiras do Estado com países vizinhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *