Serafim questiona Susam sobre salários atrasados, uso do SUS e dos hospitais Beneficente e HUGV

Manaus (AM) – O deputado Serafim Corrêa (PSB) pediu esclarecimentos à secretária estadual de Saúde, Simone Papaiz, sobre o cronograma de pagamento das cooperativas médicas em atraso; andamento do convênio com hospitais para tratamento de pacientes com Covid-19 e sobre o direcionamento de sua gestão.

Os questionamentos foram feitos durante audiência virtual realizada pela Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), na tarde desta quarta-feira, 22.

“Qual é a sua opção de gestão na Saúde: SUS (Sistema único de Saúde) ou OS (Organização Social)? Tem cronograma dos pagamentos dos médicos e enfermeiros? Ano passado esses profissionais foram muito maltratados, desdenhados. O Dr. Jorge Akel, presidente da Associação Médica do Amazonas, em uma audiência, disse que mais de 500 profissionais saíram do Estado por falta de pagamento. A arrogância do governo era tanta que ele sequer permitia conversar”, lamentou Serafim.

“A estratégia tem um único foco: Aumento de leitos. Entendemos toda a classe que opera em linha de frente, como médicos e enfermeiros. Nos comprometemos a pagar esse montante a todas as cooperativas até 90 dias após o vencimento”, disse Papaiz.

Em contrapartida, Serafim alegou que em 2020 a arrecadação foi R$ 200 milhões a mais do que em 2019. “Se isso [pagamentos] não for cumprido, isso vai estressar ainda mais a gestão. A OS nunca foi uma Organização Social Sem Fins Lucrativos. Nossas experiências são trágicas. Fiquei perplexo com a OS do Hospital Delphina Aziz, que tinha feito três cirurgias por dia. Aqui, ninguém torce contra,  todos torcemos a favor. Estamos todos na mesma tempestade e no mesmo barco”, disse.

O deputado também pediu o posicionamento do governo sobre a utilização do Hospital Universitário Getúlio Vargas e o Beneficente Portuguesa para tratamento de pacientes com Covid-19.

“Todos nós, da Aleam, há mais de um ano, pedimos que o HUGV e Beneficente Portuguesa sejam utilizados para tratamento de pacientes com Covid-19. Isso vai se concretizar ou não?”, questionou o líder do PSB na Casa.

“Sim, HUGV já está conosco trabalhando e fomos informados que o número de UTIs será aumentado para 31. Enviamos, em torno de 21h, uma lista de medicamentos, EPIs e foi liberado ontem mesmo. Foram liberados dois leitos de UTI e nove leitos de internação. Isso já está acontecendo”, esclareceu. Ela afirmou que ainda irá se reunir com a direção do Beneficente Portuguesa para alinhar as questões técnicas para recebimento dos pacientes da Covid -19.

A secretária Simone Papaiz assumiu a pasta da Saúde no Amazonas, no último dia 8 de abril, após a saída do então titular Rodrigo Tobias.

“Desde o início, a ideia é ter diálogo com o governo federal, Ministério da Saúde e com os parlamentares. Esse tratamento não é só com o Amazonas, ele [presidente] tem feito reuniões com todos os secretários de Saúde do país. Em modos gerais, há muita dificuldade”, disse Papaiz.

 A secretária ainda disse que o desequilíbrio do mercado devido à falta de insumos, favorece a dificuldade para a aquisição de equipamentos e EPIs.

“O cenário é preocupante. Mercado desequilibrado e dificuldade de produtos essenciais como respiradores, insumos, EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) e já está faltando insumos para produzir esses insumos. Está faltando médicos intensivistas, Sírio Libanês está nos ajudando. De hoje para amanhã teremos três toneladas de EPIs pelo Itaú. O enfrentamento está sendo muito pesado”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *