Jogador agradece ‘desprezo’ do técnico Renato Gaúcho

O jovem Tetê, de 20 anos, vivia grande momento na Ucrânia até a parada por conta do coronavírus. E o jogador do Shakhtar Donetsk relembrou da época do Grêmio, quando não foi aproveitado no time profissional.

Com uma saída conturbada, que rendeu até declarações de Renato Gaúcho sobre uma pressão de subir o garoto para o time de cima, Tetê rebateu. Ele garantiu que não sente mágoa do Grêmio e nem do treinador por não ter tido chance. No entanto, não deixou de dar uma alfinetada.

“É uma pergunta que eu não sei dizer, o que faltou. Isso tem que deixar para vocês, eu não sei. Estava bem, perspectiva de subir e não aconteceu. Não sei explicar. Pelo contrário, ele (Renato Gaúcho) me ajudou tentando me atrapalhar. Cheguei na Europa, joguei Champions. Não tenho mágoa do Renato e do Grêmio, me ajudaram a chegar onde cheguei”, afirmou o garoto, que completou:

Tetê entrou na lista da Uefa sobre jovens valores de destaque e já foi colocado no radar de outras equipes da Europa. O Newcastle e o Milan já entraram em contato pelo garoto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *