Servidoras presas podem ser exoneradas da Semsa

Três servidoras da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), lotadas na Vigilância Sanitária Municipal (Visa Manaus), foram presas na operação “Risco Iminente”, em cumprimentos de mandados de prisão preventiva, por suspeita de envolvimento em esquema de corrupção no órgão.

As servidoras foram presas na segunda-feira (22), nos bairros Cachoeinha, Japiim e Parque Dez de Novembro.

As três mulheres são fiscais e se utilizavam da função para receber propinas de estabelecimentos que não estariam de acordo com aquisições legais. Elas estavam sendo investigadas desde fevereiro deste ano.

Foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão nas casas das três mulheres e, na casa de uma outra servidora, que também está sendo investigada pelo envolvimento nos crimes. Nos locais, foram apreendidos celulares, computadores e tabletes.

                                                         Nota oficial

Em nota, a Semsa informou que ao saber do teor dos crimes investigados pela Polícia Civil, o secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi, determinou instauração de processo administrativo disciplinar para apurar no âmbito da Semsa as denúncias.

O procedimento respeitará os ritos administrativos e o direito à ampla defesa. As servidoras serão demitidas a bem do serviço público, se os crimes forem comprovados, conforme previsto no Estatuto do Servidor Público Municipal de Manaus.

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, manifestou preocupação com as prisões e declarou que “todo indício de má conduta de servidor que não condiga com os princípios do serviço público deve ser rigorosamente apurado e as providências cabíveis tomadas de maneira exemplar”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *