Mais de 2 milhões de pessoas recebem água tratada em Manaus

Mais de 2 milhões de pessoas recebem água potável, de alta qualidade, em aproximadamente 522 mil residências, em Manaus. A maior parte desse volume é captada, tratada e distribuída pelo Complexo de Produção da Ponta do Ismael, Compensa, zona Oeste, que responde pelo abastecimento das zonas Sul, Centro-Sul, Oeste, Centro-Oeste e parte da zona Leste, representando cerca de 60% do abastecimento. A água captada e tratada passa por um rígido controle de qualidade, com quase 30 mil análises realizadas mensalmente em mais de 600 pontos de coletas.

Nesta quarta-feira, 13/2, cumprindo um ritual de fiscalização na empresa concessionária Águas de Manaus, o prefeito Arthur Virgílio Neto fez uma visita surpresa ao complexo da Ponta do Ismael, onde observou todo o sistema de captação, tratamento, distribuição e controle da rede de abastecimento. Desde a semana passada, o prefeito tem acompanhado os investimentos feitos pela empresa na construção de novos reservatórios de água.

“Deu para perceber todo o processo de purificação da água que é captada no Rio Negro até a sua última etapa. Estamos no Centro de Controle de Operações, que mostra exatamente o que está acontecendo com a rede de abastecimento, em qualquer lugar de Manaus”, disse o prefeito. “Queremos ter uma visão muito completa do sistema para estarmos muito por dentro, sempre, de tudo aquilo que é vital para Manaus, e a água é vital”, assegurou.

O sistema de abastecimento da capital se inicia com a captação direta do rio Negro, de onde a água é transportada para tanques, recebendo o primeiro tratamento químico e, depois, sendo levada para outro tanque para decantação, onde uma injeção de oxigênio eleva toda a sujeira para a superfície, formando uma camada de resíduos. A água então é “lavada” para a retirada dos resíduos e passa para os tubos de distribuição já totalmente límpida e purificada.

“É muito bonito ver o processamento de uma água suja, que passa por purificação e termina sendo uma água de boa qualidade, de qualidade internacional, padrão oferecido hoje aos consumidores manauaras”, afirmou Arthur. “Estou bastante satisfeito em relação ao abastecimento de água. E não estava antes”, destacou.

“Aqui, na Ponta do Ismael, nós temos duas ETAs, que são Estações de Tratamento de Água, e produzimos para aproximadamente 60% da população de Manaus”, confirmou o diretor executivo da Águas de Manaus, Luiz Couto. O sistema dispõe, ainda, de outras duas ETAs, uma na Ponta das Lajes, que produz para o Programa Águas para Manaus (Proama) e abastece a zona Norte e parte da zona Leste, e outra no Mauazinho, que abastece, principalmente, o Distrito Industrial. A concessionária dispõe de 41 Centros de Produção de Águas Subterrâneas (CPAs) em operação. A cada hora, 26 milhões de litros são captados do rio Negro. Ao longo do dia, são mais de 630 milhões de litros coletados.

Novos investimentos

Os trabalhos da concessionária têm a participação direta da Prefeitura de Manaus, por meio da Unidade Gestora de Projetos Municipais de Abastecimento de Água (UGPM Água), vinculada à Secretaria Municipal de Parcerias e Projetos Estratégicos (Semppe). Segundo o coordenador da UGPM Água, Sérgio Elias, aproximadamente R$ 40 milhões serão investidos este ano em melhorias no abastecimento de água em Manaus, com novas ligações em comunidades ainda não atendidas, construção de reservatórios e melhoria da rede de distribuição, com novas adutoras. As obras têm a fiscalização da Agência Reguladora dos Serviços Públicos Delegados do Município de Manaus (Ageman).

“Teremos a modernização do Centro de Controle Operacional, porque queremos trazer todas as informações do sistema para cá, isso vai facilitar a fiscalização”, informou Sérgio Elias. “Temos os investimentos em reservatórios, cinco estão sendo construídos, aumento em mais 20 milhões de litros a capacidade de armazenamento de água na cidade, vamos levar abastecimento para o Parque Solimões, Portal do Tarumã, Riachuelo e comunidade Nobre, além da implantação de novas adutoras. Uma delas saindo da avenida Pedro Teixeira até o reservatório do Alvorada, outra saindo do Santa Etelvina para a comunidade Nobre, além das unidades programadas para a zona Leste”, antecipou Sérgio Elias.

Mais obras

Do bairro Compensa, o prefeito Arthur Neto foi ao conjunto Campos Elíseos, Planalto, zona Centro-Oeste, onde mais de 60 ruas estão recebendo os trabalhos de tapa-buracos, realizados pela Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) para garantir a estabilidade das vias. Vinte e três delas já estão concluídas e o trabalho teve uma breve interrupção nesta quarta-feira, 13/2, em função do grande volume de chuvas.

“Muita gente pensa que é um desperdício trabalhar com asfalto no período de chuva, mas temos uma solução simples e eficaz. Se chove, é colocada uma proteção em cima do caminhão que carrega o asfalto e, assim, ele é mantido por até quatro horas. Se não parar de chover em quatro horas, o material é devolvido para a Seminf e recuperado para ser utilizado. Não há desperdício”, esclareceu o prefeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *