‘Amazonas Energia serve grupos políticos e corporativos’, diz Serafim

Manaus (AM) – O deputado Serafim Corrêa (PSB) considerou acertada a decisão do Senado de rejeitar, nesta terça-feira (16), por 34 votos a 18, o projeto do Governo Federal referente à venda de seis distribuidoras da Eletrobras, entre elas a Amazonas Energia. Mas alertou que a concessionária, no estado, serve aos interesses de grupos políticos e corporativos.

“Ela passou pelos caciques do antigo PFL, depois para os caciques do MDB e a gestão ali não é voltada para o interesse público, é voltada para tudo menos para isso. E podemos somar a isso aspectos corporativos que não ajudam também na gestão da empresa. Então quando uniu uma coisa com a outra – um grupo político de um lado e um grupo corporativo de outro – o interesse da população ficou fora”, avaliou Serafim.

De acordo com o parlamentar, a privatização da Eletrobras não é um tema para ser discutido em final de gestão, e sim uma responsabilidade do próximo Presidente da República. “Porque faltam 75 dias para acabar o atual governo, ora no final de governo você tomar uma decisão dessa amplitude é muito complicado. Portanto, foi serena, foi equilibrada a decisão do Senado e caberá ao próximo presidente, seja um, seja outro, encontrar rumos, porque efetivamente a Amazonas Energia não pode continuar a ser administrada como foi nos últimos 40 anos”, disse Serafim.