Juíza federal pune os privilegiados na vacinação

Manaus (AM) – A juíza federal Jaiza Fraxe tomou uma decisão que na linguagem popular significa “cortou a curica dos espertinhos”. As pessoas que furaram a fila da vacina contra a Covid-19, devem ficar sem tomar a segunda dose do Coronavac, decidiu a juíza.

A segunda dose estava programada para ser aplicada 20 dias após a primeira. E os “privilegiados” enfrentam outro problema: não podem tomar a vacina de Oxford porque não pode haver mistura de imunizantes.

A magistrada argumentou que “é público e notório” desvios de vacinas em Manaus.

Na decisão, a juíza determina ainda divulgação diária dos nomes das pessoas quem forem vacinadas após denúncias de favorecimento durante a imunização em Manaus. Em caso de descumprimento, o prefeito de Manaus, David Almeida, pode ser multado em R$ 100 mil por dia.

Em outras palavras, quem “furou a fila” ficou sem pai, mãe e padrinho.

Foi um xeque-mate. O Rei não tem lance legal que possa adotar para continuar privilegiando os amigos no próximo lance.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *