Prefeitura entrega cestas básicas a comunidade indígena Terra Preta

Manaus (AM) – Uma das mais afetadas pelos efeitos da pandemia do novo coronavírus, a comunidade indígena Terra Preta, distante 55 quilômetros da área urbana da capital amazonense e localizada à margem esquerda do rio Negro, recebeu da Prefeitura de Manaus, por meio do Fundo Manaus Solidária, a doação de 40 cestas básicas. A entrega dos donativos faz parte do acordo de cooperação assinado pelo município com o governo da França para o enfrentamento da Covid-19.

“Ainda estamos sob a ameaça dessa doença terrível, que causa mortes sem distinção de classe, raça ou etnia. No caso dos indígenas, é ainda mais grave porque eles representam as raízes da nossa história, além da cultura e tradição milenares que carregam consigo. Então, todo o auxílio que pudermos levar a eles, como temos feito com os trabalhos coordenados pela minha esposa, Elisabeth Valeiko Ribeiro, ameniza os efeitos dessa pandemia sobre eles. Agradeço, de coração, toda ajuda internacional que recebemos, diante do apelo que fiz, e parabenizo o empenho dos nossos servidores em levar assistência aos que mais precisam”, disse o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto.

A entrega, ocorrida na última quinta-feira, 29/10, aconteceu por meio do programa “Abraço Solidário na Pandemia”, realizado com os recursos oriundos do governo francês, e que busca atender pessoas em situação de risco social, sejam elas residentes na área urbana ou rural de Manaus. A comunidade beneficiada é formada por indígenas das etnias baré, baniwa, tucano e kurriepacu.

“Essa comunidade foi a primeira a ser atingida pelo novo coronavírus, ficou isolada, com 90% dos moradores contaminados. Eles vivem da pesca, da agricultura e do artesanato, e sofreram muito para manter o sustento. Com todas as dificuldades de logística e de acesso, já que o rio está baixo, conseguimos fazer a entrega e beneficiar as famílias que ali residem. É gratificante ver que nossos esforços estão auxiliando tantas pessoas, graças ao apelo do prefeito Arthur Neto e a nações sensíveis à causa, como a França”, disse a presidente do Fundo Manaus Solidária, a primeira-dama Elisabeth Valeiro Ribeiro.

Segundo o cacique Clodoaldo Silva Aleixo, a comunidade, localizada nas proximidades do Arquipélago das Anavilhanas, foi bastante penalizada com os efeitos do coronavírus e a chegada das cestas foi de extrema importância. “Gostaria de agradecer à Prefeitura de Manaus, porque esses benefícios chegaram em boa hora. Nossa comunidade foi muito atingida pela Covid-19 e, além de auxiliarem as famílias como um todo, essas cestas serão ainda mais importantes para as nossas 52 crianças, que necessitam de uma boa alimentação para que possam se desenvolver de forma saudável”, explicou o cacique.

Mãe de quatro filhos, Flora Yarumare mora há 22 anos no local. Ela contou que as dificuldades financeiras de sua família aumentaram desde que seu marido morreu, recentemente, vítima da Covid-19. “Estamos passando por um momento bastante delicado em nossas vidas, devido a morte de meu marido. Também não podemos ir até à cidade com frequência por causa da pandemia, e tudo isso torna a situação ainda mais difícil. Fico muito feliz e agradeço, de coração, por estar recebendo essa ajuda”, disse Flora.

A coordenadora do setor de serviço social do Fundo Manaus Solidária, Virna Martiniano, reforçou que o programa busca identificar e oferecer assistência aos grupos mais afetados pela crise econômica e social causada pela pandemia de Covid-19. “Para nós, do Fundo Manaus Solidária, é muito gratificante poder chegar até essas pessoas e garantir a assistência básica que elas precisam, mesmo que de forma pontual. Nosso intuito é continuar com as entregas, e beneficiar não somente às comunidades ribeirinhas, mas também outras categorias, como profissionais da cultura, quilombolas, pessoas LGBTQI+ ou de outros grupos em situação de vulnerabilidade social”, ressaltou.

Parceria

A campanha “Abraço Solidário na Pandemia” é realizada pela Prefeitura de Manaus, em parceria com o governo da França, que destinou um total de 500 mil euros, aproximadamente, R$ 3 milhões, para serem investidos em saúde e assistência social, para minimizar os efeitos da pandemia do novo coronavírus na capital do Amazonas. Para a aquisição das cestas básicas foi destinado um montante de R$ 1.428.571, que resultou na compra de 15.585 cestas.

O “Abraço Solidário na Pandemia” está beneficiando pessoas que residem em bairros com o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) abaixo da média nacional, além de populações indígenas em áreas urbanas da capital e moradores de comunidades rurais e ribeirinhas.

Na área da saúde, o convênio com o governo da França permitirá a ampliação do atendimento às populações vulneráveis e aos povos indígenas, brasileiros e estrangeiros, com aquisição de equipamentos e insumos, que totalizam investimento de R$ 1.427.370.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *